Obra chamada "Jeune Tahitienne" foi arrematada por R$ 17,8 milhões nos EUA

Divulgação
"Jeune Tahitienne", de Paul Gauguin

Uma escultura em madeira representando a cabeça de uma jovem polinésia foi vendida nesta terça-feira (03) por um preço recorde para uma obra desse tipo do francês Paul Gauguin. Batizada de "Jeune Tahitienne", a obra foi leiloada em Nova York por US$ 11,2 milhões (R$ 17,8 mi). Gauguin esculpiu Tahitienne durante uma viagem à Polinésia entre 1890 e 1893, e a obra estava avaliada em entre US$ 10 milhões e US$ 15 milhões.

O recorde anterior de venda para uma escultura de Gauguin havia sido de US$ 1,4 milhão, segundo a empresa de vendas Sotheby's, que realizou o leilão. A escultura foi dada por Gauguin em seu regresso à França, em 1894, a uma menina de 10 anos, Jeanne Fournier, filha de um crítico de arte que a vendeu em 1961 ao proprietário que a enviou ao leilão desta terça-feira. Segundo a Sotheby's, existe um interesse renovado por peças talhadas em madeira. "O mercado tem demonstrado que há uma demanda excepcional por obras deste gênero".

O leilão também arrecadou mais de US$ 50 milhões com a venda de oito obras do pintor espanhol Pablo Picasso (1881-1973). A obra mais cara da jornada foi o quadro "Femmes lisant (Deux Personnages)", inspirado em Marie-Thérése Walter, amante e musa de Picasso, que saiu por US$ 21.362.500. O quadro, pintado em 1934, representa Marie-Thérése lendo um livro acompanhada de sua irmã.

No mesmo leilão, foram negociadas obras de diversos períodos artísticos do pintor espanhol, algumas das quais superaram as previsões dos responsáveis da Sotheby's, como o retrato surrealista "Femme" (1930), vendido por US$ 7.922.500, embora estivesse avaliado entre US$ 3 milhões e US$ 5 milhões. O quadro, que a firma qualificou como "uma das mais destacadas imagens surrealistas de Picasso", é uma "aterrorizante" evocação da primeira esposa do artista, a dançarina Olga Khokhlova (1891-1954).

Outro retrato assinado por Picasso também cativou os compradores nesta terça-feira: "Fillette aux nattes et au chapeau vert" (1956), que representa Paloma, uma das filhas do artista, saiu por US$ 5.906.500. Também de Picasso, "Couple á la guitare" (1970), que mostra dois amantes entrelaçados, foi arrematado por US$ 9.602.500, enquanto outras duas peças do artista espanhol que foram colocados à venda em Nova York, "Femme nue assise contre une draperie" (1922) e "Vue d'une fenetre" (1929), não encontraram compradores.

Com este leilão dedicado à arte impressionista e moderna, a Sotheby's inaugurou a temporada de grandes leilões de primavera em Nova York, que seguirá nesta quarta-feira com a venda organizada por sua concorrente Christie's. Uma das principais obras do leilão será outro quadro de Picasso, "Les femmes d'Alger, version L" (1955), com o qual a casa espera arrecadar entre US$ 20 milhões e US$ 30 milhões. O impressionista Claude Monet (1840-1926) se destaca no leilão com duas obras: "Les peupliers" (1891), que parte com preço entre US$ 20 milhões e US$ 30 milhões, e "Iris mauves" (1914-17), avaliado entre US$ 15 milhões e US$ 20 milhões.

* com AFP e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.