Egito condena 11 funcionários à prisão por roubo de Van Gogh

Vice-ministro da Cultura e outros empregados são acusados de negligência

Reuters |

Uma corte do Egito condenou 11 funcionários do Ministério da Cultura à prisão pela negligência que conduziu ao roubo de uma tela de Van Gogh avaliada em 55 milhões de dólares num museu do Cairo, disse o juiz da corte na terça-feira.

O roubo de "Vaso com Viscaria" – conhecido no pais como "Flor de Papoula" – em agosto levou a críticas de incompetência no Ministério da Cultura e levantou dúvidas sobre as medidas de segurança para a proteção dos tesouros nacionais do Egito.

"A corte decidiu punir o vice-ministro da Cultura, Mohsan Shalan, e outros dez empregados no ministério com três anos na cadeia", disse o juiz Ahmed el-Shahedi.

Eles podem ficar fora da prisão até que outra corte reveja o caso se cada um pagar o equivalente a 1.760 dólares de fiança, disse o juiz. O quadro de Van Gogh permanece desaparecido.

    Leia tudo sobre: van goghrouboegito

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG