"É proibido fumar" é o grande vencedor do GP de Cinema Brasileiro

Filme desbancou favoritos como "Se eu fosse você 2" e "Tempos de Paz" e faturou cinco categorias no prêmio

Luisa Girão, iG Rio de Janeiro |

A noite foi de grandes surpresas no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, que aconteceu na noite desta terça-feira (08), no teatro João Caetano. O longa-metragem "É proibido fumar", de Anna Muylaert , desbancou os favoritos da noite, como "Se eu fosse você 2" e "A mulher invisível" e levou as principais estatuetas: melhor longa-metragem de ficção, diretor e roteiro original, além de trilha sonora e montagem de ficção.

Andre Durão
Anna Muylaert recebeu o prêmio de Melhor Filme de Ficção das mãos do presidente da Academia Brasileira de Cinema, Roberto Farias
A diretora não escondeu a emoção de receber os mais importantes prêmios da noite. "Achei que seríamos coadjuvantes nessa noite e viramos a estrela principal. Eu estava concorrendo com Daniel Filho , que faz as maiores bilheterias, o meu é um pequeno filme. Eu não tinha a pretensão e realmente não esperava ganhar. Sei que o prêmio é votado pela classe cinematográfica e para mim é como virar gente grande", comemorou.

Pelo número de prêmios Anna foi comparada a Kathryn Bigelow , diretora de "Guerra ao Terror", que faturou o Oscar de melhor filme do ano em 2010. "Não sei se é uma grande coincidência ou as mulheres estão dominando o cinema mundial", brincou.

Lilia Cabral ganhou o prêmio de melhor atriz pela Academia por sua atuação em "Divã". Emocionada, ela brincou: "Tenho certeza que esse é um dos prêmios mais importantes da minha carreira. Acho que agora posso dizer que eu faço cinema". A atriz ainda falou sobre a personagem. "“Fiquei surpresa porque essa personagem é tão leve e, ao mesmo tempo, tão complexa!”, revelou.

André Durão
Tony Ramos, vencedor da categoria de melhor ator, recebe o carinho de Paulo José, Daniel Filho e Patrícia Pillar
Tony Ramos, que levou o troféu de melhor ator por "Se eu fosse você 2", declarou-se surpreso, apesar de ter recebido duas indicações. "Eu não vim esperando receber o prêmio, nunca imagino que vou ser o vencedor. Companheiros brilhantes estavam concorrendo comigo, como o Dan Stulbach e o Selton Mello . Esse prêmio veio em excelente hora, pois estou comemorando 46 anos de carreira", frisou, acrescentando que sempre tentou organizar sua agenda para conciliar trabalhos na TV e nas telonas. "Nos últimos 15 anos tenho estado muito presente. O único trabalho que fiz junto foi 'Chico Xavier', quando ainda gravava 'Caminho das Índias'. Quando você gosta do roteiro e da personagem, dá um jeito", finalizou.

Confira abaixo a lista completa dos ganhadores do Grande Prêmio de Cinema Brasileiro:

Curta-metragem de animação : "O menino que plantava invernos", Victor Hugo Borges

Curta-metragem de ficção : "Superbarroco", Renata Pinheiro

Curta-metragem de documentário : "De volta ao quarto 666", Gustavo Spolidoro

Figurino : Marília Carneiro, por "Tempos de paz"

Maquiagem : Martín Macias Trujillo

Direção de arte : Claudio Amaral Peixoto, por "Besouro"

Direção de Fotografia : Ricardo Della Rosa, por "À deriva"

Montagem de ficção : Paulo Sacramento, por "É proibido fumar"

Montagem de documentário : Karen Akerman, por "Simonal - ninguém sabe o duro que dei"

Efeitos visuais : Marcelo Siqueira, por "Besouro"

Som : Denilson Campos e Paulo Ricardo Nunes, por "Simonal - ninguém sabe o duro que dei"

Trilha sonora: Márcio Nigro, por "É proibido fumar"

Trilha sonora original: Berna Ceppas, por "Simonal - ninguém sabe o duro que dei"

Atriz coadjuvante: Denise Weinberg, por "Salve geral"

Ator coadjuvante: Chico Diaz, por "O contador de histórias"

Prêmio especial de preservação: Alice Gonzaga (escritora, pesquisadora, produtora, diretora e empresária do ramo cinematográfico)

Longa-metragem nacional de animação: "O grilo feliz e os insetos gigantes", de Walbercy Ribas e Rafael Ribas

Longa-metragem infantil: "O grilo feliz e os insetos gigantes", de Walbercy Ribas e Rafael Ribas

Longa-metragem estrangeiro: "Bastardos inglórios", de Quentin Tarantino

Roteiro adaptado: Bosco Brasil, por "Tempos de paz"

Roteiro original: Anna Muylaert, por "É proibido fumar"

Prêmio especial: Anselmo Duarte (1920-2009)

Longa-metragem de documentário: "Simonal - ninguém sabe o duro que dei", de Calvito Leal, Claudio Manoel e Micael Langer

Longa-metragem de ficção nacional (voto popular): "Se eu fosse você 2", de Daniel Filho

Longa-metragem de ficção estrangeiro (voto popular): "Avatar", de James Cameron

Melhor Atriz: Lília Cabral, "Divã"

Melhor Ator: Tony Ramos, "Se eu fosse você 2"

Melhor diretor: Anna Muylaert por "É proibido fumar"

Melhor filme: "É proibido fumar", de Anna Muylaert 

    Leia tudo sobre: cinemaprêmiotonyramosliliacabral

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG