Dissidente chinês Ai Weiwei enfrenta novo problema tributário

Autoridades da China impõem abstáculos para que o artista pague uma dívida fiscal

Reuters |

Autoridades chinesas estão impondo obstáculos para que o artista e ativista Ai Weiwei pague uma dívida fiscal que lhe permitirá recorrer de uma multa tributária, disse um advogado dele nesta segunda-feira (14). Partidários de Ai dizem que ele está sendo vítima de perseguição política.

Getty Images
O artista chinês Ai Weiwei: vítima de perseguição política em seu país
O artista, cuja prisão por 81 dias este ano atraiu a atenção mundial, tem até quarta-feira para depositar uma garantia tributária que é condição para o recurso contra a multa de 15 milhões de iuans (2,4 milhões de dólares) por evasão fiscal. Ele nega ter sonegado impostos.

Leia também: 'Quero provar a minha inocência', diz Ai Weiwei ao iG

O governo exige que ele deposite a garantia de 8,4 milhões de iuans diretamente na conta de um órgão tributário, o que seu advogado, Pu Zhiqiang, disse não ter amparo jurídico. O governo também recusa a casa da mãe de Ai como garantia. A defesa do artista disse estar "pensando em formas de resolver essa questão com o governo", acrescentou Pu.

Ai disse que as autoridades não apresentaram provas da suposta sonegação, e que orientaram o gerente e o contador da empresa Beijing Fake Cultural Development Ltd., acusada pela evasão, a não se encontrarem com ele.

Segundo ele, o Departamento de Segurança Pública o apontou como "controlador" da empresa, embora sua mulher seja a representante jurídica. Ai tem dito que, se ele não pagar a multa, é a sua esposa quem irá para a cadeia.

Desde que foi detido, o artista, barbado e gordinho, se tornou o rosto mundialmente mais conhecido entre os dissidentes e ativistas pró-direitos humanos da China.

Ai, de 54 anos, tem recebido inúmeras doações financeiras de pessoas que o consideram alvo de uma perseguição política. "Tudo isto mostra como muitos membros da opinião pública se sentem a respeito desse processo movido contra mim pelas autoridades tributárias", disse ele numa rápida entrevista no domingo. "Isso demonstra a solidariedade do público por pessoas na nossa posição, e não só por mim pessoalmente."

O artista disse que, até a noite de domingo, recebeu 8,7 milhões de iuans em doações, quantia suficiente para pagar a multa. Mas, para custear a defesa, ele afirmou que provavelmente terá de vender a casa da mãe, de 79 anos.

Conhecido nos círculos internacionais de arte e design contemporâneos, Ai teve participação no projeto do Estádio Olímpico de Pequim (o "Ninho do Pássaro"). Para muitos simpatizantes, Ai é também um símbolo da ira popular contra os rígidos controles políticos na China.

    Leia tudo sobre: ai weiweicultura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG