'Estamos na rua, mas com muito medo', disse gaúcha; leia outros relatos ouvidos pelo iG

Débora Ferreira mostra comprovantes de compra dos blocos baianos
Felipe Souto Maior
Débora Ferreira mostra comprovantes de compra dos blocos baianos
Enquanto o governo da Bahia não chega a um acordo com a Polícia Militar para pôr fim à greve da categoria que já dura mais de uma semana, os turistas que estão em Salvador se mostram apreensivos com a realização do carnaval, que começa no próximo dia 16. A grande preocupação é se haverá segurança suficiente durante a festa.

"A gente fica triste com essa situação. Estamos na rua, mas com muito medo. Estamos acompanhado as notícias e esperamos que essa situação seja logo resolvida", comentou Fernanda Tirloni, natural de Soledade, no Rio Grande do Sul. Ela tirou o dia para passear no Farol da Barra, um dos principais pontos turísticos da cidade, com o namorado, o jogador de futebol Kael Tirloni.

Acesse o especial sobre o carnaval

As amigas de São Paulo Júlia Barbosa e Deuziana Moreira desembarcaram de um cruzeiro nesta quarta (8) em Salvador. Elas contam que, devido ao clima tenso, uma das amigas preferiu ficar no navio. "É complicada a situação. Todo mundo fica temeroso", disse Júlia.

Mais preocupada está Anna Giovanna Camilo, de João Pessoa, Paraíba. Ela já gastou mais de R$ 1,5 mil com abadás e camarotes para a festa. "Fomos surpreendidos com essa greve. Agora eu torço para que a situação não se agrave e que a gente possa sair na rua nos dias de carnaval".

Programada para ficar 19 dias na capital baiana, a estudante conta que já pensou, inclusive, em mudar o roteiro. "Cogito a possibilidade de ir para Olinda se continuar como está", afirmou.

Leia também: Indústria do Carnaval calcula perdas com greve e teme falta de 'plano B'

A advogada Débora Ferreira disse que se programou para o Carnaval desde o ano passado. "Abri mão da minha festa de formatura", revelou. Depois de comprar abadás dos blocos do Eva e do Nana Banana, ela conta que está muito triste com o impasse. "É muito chato. A gente cria uma expectativa e, aqui, fica essa incerteza". Questionada se também abriria mão da folia baiana, ela responde: "Iria com muita tristeza, mas só vou se não tiver mais jeito. Se disserem que vai ter o carnaval, eu estarei lá".

Fernando Bulhosa, presidente do Conselho Municipal do Carnaval
Felipe Souto Maior
Fernando Bulhosa, presidente do Conselho Municipal do Carnaval
"A folia está garantida"

Durante esta semana, representantes de associações que organizam o Carnaval de Salvador fizeram três reuniões para definir o rumo da festa. Nesta quarta, o presidente do Conselho Municipal do Carnaval, Fernando Bulhosa, disse que a folia está garantida e que espera contar com o apoio do governo estadual no que diz respeito ao policiamento.

"Vamos cumprir o nosso papel, que é colocar o bloco na rua. A segurança do evento é responsabilidade do governo e esperamos que ele cumpra com essa parte", frisou. "Os camarotes estarão abertos na quinta (dia 16), os artistas já estão prontos e os blocos vão desfilar", completou.

Leia também: Banda Eva cancela show em Salvador por causa de greve da PM

Já o secretário de Comunicação do Estado, Robinso Almeida, limitou-se a dizer que o governo dará o apoio necessário para que o Carnaval seja realizado. Com relação à segurança nas ruas, ele se esquivou: "Este assunto ainda não foi tratado. Não tenho como dizer de que forma isso será operacionalizado".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.