Devido à greve da PM, turistas se preocupam com segurança no carnaval de Salvador

'Estamos na rua, mas com muito medo', disse gaúcha; leia outros relatos ouvidos pelo iG

Victor Albuquerque, especial para o iG, de Salvador |

Felipe Souto Maior
Débora Ferreira mostra comprovantes de compra dos blocos baianos
Enquanto o governo da Bahia não chega a um acordo com a Polícia Militar para pôr fim à greve da categoria que já dura mais de uma semana, os turistas que estão em Salvador se mostram apreensivos com a realização do carnaval, que começa no próximo dia 16. A grande preocupação é se haverá segurança suficiente durante a festa.

"A gente fica triste com essa situação. Estamos na rua, mas com muito medo. Estamos acompanhado as notícias e esperamos que essa situação seja logo resolvida", comentou Fernanda Tirloni, natural de Soledade, no Rio Grande do Sul. Ela tirou o dia para passear no Farol da Barra, um dos principais pontos turísticos da cidade, com o namorado, o jogador de futebol Kael Tirloni.

Acesse o especial sobre o carnaval

As amigas de São Paulo Júlia Barbosa e Deuziana Moreira desembarcaram de um cruzeiro nesta quarta (8) em Salvador. Elas contam que, devido ao clima tenso, uma das amigas preferiu ficar no navio. "É complicada a situação. Todo mundo fica temeroso", disse Júlia.

Mais preocupada está Anna Giovanna Camilo, de João Pessoa, Paraíba. Ela já gastou mais de R$ 1,5 mil com abadás e camarotes para a festa. "Fomos surpreendidos com essa greve. Agora eu torço para que a situação não se agrave e que a gente possa sair na rua nos dias de carnaval".

Programada para ficar 19 dias na capital baiana, a estudante conta que já pensou, inclusive, em mudar o roteiro. "Cogito a possibilidade de ir para Olinda se continuar como está", afirmou.

Leia também: Indústria do Carnaval calcula perdas com greve e teme falta de 'plano B'

A advogada Débora Ferreira disse que se programou para o Carnaval desde o ano passado. "Abri mão da minha festa de formatura", revelou. Depois de comprar abadás dos blocos do Eva e do Nana Banana, ela conta que está muito triste com o impasse. "É muito chato. A gente cria uma expectativa e, aqui, fica essa incerteza". Questionada se também abriria mão da folia baiana, ela responde: "Iria com muita tristeza, mas só vou se não tiver mais jeito. Se disserem que vai ter o carnaval, eu estarei lá".

Felipe Souto Maior
Fernando Bulhosa, presidente do Conselho Municipal do Carnaval
"A folia está garantida"

Durante esta semana, representantes de associações que organizam o Carnaval de Salvador fizeram três reuniões para definir o rumo da festa. Nesta quarta, o presidente do Conselho Municipal do Carnaval, Fernando Bulhosa, disse que a folia está garantida e que espera contar com o apoio do governo estadual no que diz respeito ao policiamento.

"Vamos cumprir o nosso papel, que é colocar o bloco na rua. A segurança do evento é responsabilidade do governo e esperamos que ele cumpra com essa parte", frisou. "Os camarotes estarão abertos na quinta (dia 16), os artistas já estão prontos e os blocos vão desfilar", completou.

Leia também: Banda Eva cancela show em Salvador por causa de greve da PM

Já o secretário de Comunicação do Estado, Robinso Almeida, limitou-se a dizer que o governo dará o apoio necessário para que o Carnaval seja realizado. Com relação à segurança nas ruas, ele se esquivou: "Este assunto ainda não foi tratado. Não tenho como dizer de que forma isso será operacionalizado".

    Leia tudo sobre: CarnavalmúsicaSalvadorBahia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG