David Hockney critica Damien Hirst em cartaz de exposição

Artista ataca colega por ele empregar assistentes para fazer as suas obras

Reuters |

Divulgação
Trabalho de David Hockney que será exposto em Londres
O artista britânico David Hockney criticou a metodologia do compatriota Damien Hirst, que não produz pessoalmente muitas obras atribuídas a ele.

Hockney, de 74 anos, disse que o cartaz exibido em sua próxima exposição na Academia Real de Londres dizendo "todas as obras aqui foram feitas pelo próprio artista, pessoalmente," visava em parte Hirst.

Siga o iG Cultura no Twitter

"Eu costumava dizer na escola de arte, você pode ensinar o ofício, mas não a poesia", disse Hockney à revista Radio Times em uma entrevista publicada na terça-feira. "Mas agora eles tentam ensinar a poesia e não o ofício."

Hockney citou um ditado chinês que diz que para pintar "é preciso o olho, a mão e o coração. Apenas dois não bastam."

Hirst, um dos artistas mais bem-sucedidos comercialmente de sua geração, ficou conhecido por seus trabalhos com animais suspensos em formaldeído e pelas telas de pontos , que exibem fileiras de pontos coloridos.

Ele emprega assistentes para produzirem as obras de pontos, e um artigo recente no New York Times disse que Hirst criou apenas cinco das estimadas 1.400 telas de pontos existentes.

Uma porta-voz disse que Hirst estava fora do país e não estava disponível para dar declarações.

Ainda neste mês, as 11 galerias Gagosian em todo o mundo exibirão as telas de pontos de Hirst , que podem arrecadar centenas de milhares de dólares em cada leilão.

    Leia tudo sobre: Damien HirstDavid Hockneyarte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG