Atriz recebeu diversos prêmios por sua interpretação da catadora de lixo de um aterro sanitário

Pode ser que até há pouco tempo você nunca tenha ouvido falar em Dani Barros. Pode até ser que você ainda não a conheça, mas logo vai ser difícil não admirar essa atriz nascida em Petrópolis, Rio de Janeiro.

Pelo seu desempenho em "Estamira - Beira do Mundo", ela ganhou os prêmios Shell, o APTR - Associação dos Produtores de Teatro do Rio de Janeiro, e o novo Questão de Crítica. E ainda está indicada para o Qualidade Brasil. Com tudo isso e a agenda cheia para o ano todo, ela ainda tem suas inseguranças, o que só a torna mais cativante. Dani é uma grande comediante que não faz o gênero "engraçada" o tempo todo, e o trabalho que lhe rendeu todos esses prêmios é coisa séria.

Siga o iG Cultura no Twitter

Dani Barros em, 'Estamira'
Divulgação
Dani Barros em, 'Estamira'

Estamira era uma catadora de lixo que vivia no Aterro Sanitário do Jardim Gramacho e sofria de distúrbios mentais. Ela foi retratada no documentário de Marcos Prado . Dani Barros viu o filme e se apaixonou por Estamira. "Tinha tanta coisa naquele filme que eu queria mostrar para as pessoas, para muitos médicos que eu já conheci. Minha mãe tinha depressão e frequentei muitas clínicas psiquiátricas com ela. A gente passou por muita coisa", conta.

Lei também: Morre protagonista do documentário "Estamira"

"A responsabilidade era enorme. Muita gente conhecia o filme e era apaixonado, então tive que trabalhar muito. Ter passado pelo 'Doutores da Alegria' foi muito importante. Nosso sistema de saúde é muito complicado. Eu já vi água de esgoto estourar numa CTI, vi pronto-socorro com 45 leitos onde deveriam ter 20, e médicos sem tempo nem pra olhar para os pacientes."

Dani Barros em 'Estamira'
Divulgação
Dani Barros em 'Estamira'
"A própria Estamira ficou um tempão esperando no corredor do hospital para ser internada. E um dia antes de morrer, quando ela parecia um passarinho, me falou uma coisa linda que eu coloquei no final da peça." Dani se emociona, sem vergonha de chorar no meio de uma entrevista.

Leia também: 'Rosa' encanta o público no Festival de Curitiba

"Já me perguntaram se a alegria é o melhor remédio, e eu disse que não, o melhor remédio é ter remédio mesmo no hospital. Mas acho que não gostaram da resposta e cortaram essa parte da entrevista."

Ela continua: "A melhor vingança contra esse sistema precário é tentar fazer muito bem o trabalho. Eu vi alguns médicos e enfermeiras incríveis que trabalham muito e fazem muita diferença."

Leia também: José Wilker de volta ao teatro que quer fazer diferença

Nesta terça e quarta, Dani Barros se apresenta em Curitiba. De 29 de junho a 29 de julho, "Estamira - Beira do Mundo" estará em São Paulo. Em agosto, Dani volta a São Paulo com "Maria do Caritó", texto de Newton Moreno, ao lado de Lilia Cabral e de um elenco impecável.

"Lilia Cabral sabe tudo"

A experiência recente de ter participado da novela "Fina Estampa" foi muito boa para Dani. "No começo eu via as pessoas me olhando na rua e achava muito estranho. Demorei para me tocar que era por causa da novela! E trabalhar no núcleo da Lilia Cabral foi um luxo", afirma.

"A Lilia me ajudou muito durante o processo de 'Estamira'. A gente já fazia 'Maria do Caritó' e eu perguntava muita coisa para ela. Ela sabe de tudo e é empreendedora. Me ensinou muito sobre produção. É uma patroa generosa, que me apresentou para muitas pessoas, que falava do meu trabalho para todo muito. Nunca tinha feito novela, e a Lilia, o Eri Johnson, o Wolf Maya e todos os diretores foram muito bacanas, muito gentis e me ensinaram muito."

Dani finaliza: "Eu sei que eu estou vivendo um momento especial."

Leia também: 'Fausto ComPacto' leva multimídia a Curitiba

Estamira - Beira do Mundo
Direção e dramaturgia: Beatriz Sayad
Idealização: Dani Barros
Teatro Paiol - Curitiba, nos dias 3 e 4 de abril, às 21h
Em São Paulo, de 29 de junho a 29 de julho no Sesc Pompeia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.