Criado em 1963, MAC tem um dos principais acervos de arte do século 20 do Brasil

Mostra em cartaz na sede original traz destaques da coleção original do museu

Augusto Gomes, iG São Paulo |

Divulgação
"A Negra", de Tarsila do Amaral
A origem do Museu de Arte Contemporânea (MAC) é conturbada. Foi criado em 1963, após a extinção do primeiro Museu de Arte Moderna de São Paulo por seu fundador, o industrial Ciccillo Matarazzo.

As obras da instituição, junto com as coleções do próprio Ciccillo e de sua mulher, Iolanda Penteado, deram origem ao acervo do museu, e desde então é administrado pela Universidade de São Paulo.

Alguns dos destaques desse acervo original podem ser vistos atualmente na mostra "Modernismos no Brasil", em cartaz até o final de julho no terceiro andar do prédio da Bienal, no parque do Ibirapuera.

Esse espaço foi a primeira e, até o início dos anos 1990, quando foi inaugurado o edifício da Cidade Universitária, única sede do museu. Com a inauguração da nova sede, esse espaço será desocupado em outubro.

"A última exposição da primeira sede é justamente esse acervo modernista que deu origem ao museu", explica o diretor do MAC, Tadeu Chiarelli.

A coleção inclui, por exemplo, ícones da pintura brasileira como "A Negra", de Tarsila do Amaral, e "A Boba", de Anita Malfatti. Grandes nomes da arte mundial também estão representados - Picasso, Kandinsky, Modigliani, Klee, De Chirico, Albers e Léger são alguns dos exemplos.

É um acervo invejável, e curiosamente pouco conhecido em São Paulo. Uma das explicações para esse desconhecimento é a localização do museu.

"É muito mais fácil ir ao MASP ou à Pinacoteca do que ir à Cidade Universitária", reconhece Chiarelli. "Lá, recebemos 80, 100 pessoas por dia. No terceiro andar da Bienal, a média atual é de 200 visitantes diários, porque o apelo dessa exposição que está lá é muito forte."

No caso da nova sede, Chiarelli ainda não tem nenhuma estimativa. "Eu espero que encha", resume. "Estamos num local mais central e de fácil acesso."

Modernismos no Brasil
Pavilhão Ciccillo Matarazzo (parque do Ibirapuera, portão 1, Ibirapuera)
Até 29/07
De terça a domingo, das 10h às 18h
Entrada gratuita

O Tridimensional no Acervo do MAC: Uma Antologia
Museu de Arte Contemporânea (av. Pedro Álvares Cabral, 1.301, Ibirapuera)
Inauguração neste sábado (28), às 11h
De terça a domingo, das 10h às 18h
Entrada gratuita

    Leia tudo sobre: MACexposiçõesartes plásticasTadeu Chiarelli

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG