Vik Muniz vai apresentar "Lixo Extraordinário" em Portugal

Ao lado do diretor João Jardim, artista brasileiro participará de festival de cinema em língua portuguesa, o FESTin

iG São Paulo com EFE |

Divulgação
Vik Muniz em cena de "Lixo Extraordinário"
O artista plástico brasileiro Vik Muniz será um dos protagonistas da 2ª edição do Festival de Cinema Itinerante de Língua Portuguesa, o FESTin, com a projeção do documentário "Lixo Extraordinário", indicado ao Oscar.

Os organizadores do evento, que será realizado no Cinema São Jorge de Lisboa, apresentaram nesta terça-feira a programação, que reunirá 72 filmes com o objetivo de consolidar-se como um festival do panorama da produção de cinema na língua portuguesa.

O destaque do evento será "Lixo Extraordinário", um filme que narra o trabalho de Muniz no chamado Jardim Gramacho, um gigantesco aterro sanitário situado nos arredores do Rio de Janeiro, para elaborar imagens inspiradas nos moradores do lugar e fotografá-las depois.

Dirigido pelos brasileiros João Jardim – que também viajará até Lisboa –, Karen Harley e pela inglesa Lucy Walker, "Lixo" foi bem recebido no circuito de festivais, recebeu o prêmio do público na seção Panorama do Festival de Berlim e o prêmio Anistia Internacional.

O FESTin reunirá filmes procedentes de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. A diretora técnica do evento, Adriana Niemeyer, reconheceu que o propósito do projeto é ter caráter itinerante, seja em países de língua portuguesa ou não, e assegurou que a organização já recebeu convites de diferentes regiões do mundo para sediar o evento, entre elas a cidade de São Paulo.

"Estamos à espera de fechar os patrocínios", explicou Adriana em entrevista coletiva realizada na capital portuguesa.

Outro dos pontos fortes desta 2ª edição do FESTin é a homenagem da Prefeitura de Lisboa ao cineasta mais velho do mundo, o português Manoel de Oliveira, de 102 anos, e o tributo ao diretor português João Botelho, com exibição de quatro longas-metragens e um curta escolhidos por ele mesmo durante a semana do festival.

O longa que vencer na competição oficial receberá um prêmio de 5 mil euros, segundo informou a organização. O calendário do FESTin ainda conta com duas mesas-redondas sobre a relação entre o cinema e a identidade dos países de fala portuguesa e da chegada da literatura lusa ao cinema.

null

    Leia tudo sobre: vik munizlixo extraordináriodocumentárioportugal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG