"Tropa de Elite 2" é o mais visto da retomada

Filme ultrapassa os 6,3 milhões de espectadores e bate a marca de "Se Eu Fosse Você 2"

Guss de Lucca, iG São Paulo |

Divulgação
Wagner Moura em "Tropa de Elite 2": filme assume a primeira posição dos mais vistos após a retomada
Que "Tropa de Elite 2" é o maior fenômeno do cinema brasileiro após a retomada não havia dúvidas. A marca de 6,3 milhões de espectadores atingida nesta quarta-feira, responsável por bater o até então campeão "Se Eu Fosse Você 2", de 2009, é só mais um título conquistado pelo longa-metragem de José Padilha - que no início da semana garantiu a maior bilheteria nacional da década ao ultrapassar os R$ 57 milhões.

O filme já havia surpreendido em seu primeiro fim de semana, período em que superou as estreias no Brasil de blockbusters norte-americanos como "Homem-Aranha" e "A Era do Gelo 3", o que ocasionou o aumento imediato de suas salas de exibição, que pularam de 661 para 703 - e posteriormente alcançaram aproximadas 739.

Somado ao sucesso do filme espírita "Nosso Lar", "Tropa de Elite 2" colocou as produções nacionais em mais da metade das salas de cinemas do país - fato inédito que, como havia comentado Paulo Sérgio Almeida, diretor do portal Filme B, em entrevista ao iG , torna-se mais surpreendente pela censura do filme, que é de 16 anos.

Se na última semana a produção já havia se tornado a mais vista de 2010, totalizando 4,14 milhões de ingressos vendidos, agora "Tropa de Elite 2" assume o posto de filme brasileiro mais visto após a retomada, desbancando os 6,13 milhões da comédia "Se Eu Fosse Você 2".

A última façanha que "Tropa de Elite 2" pode conquistar no país é garantir a este ano o melhor da retomada, título que ainda é atribuído a 2003, período em que produções nacionais como "Lisbela e o Prisioneiro" e "Carandiru" levaram 22 milhões de espectadores aos cinemas - até o momento 2010 já contabiliza 18 milhões.

Divulgação
José Padilha dirige Seu Jorge em "Tropa de Elite 2": apesar do sucesso, filme não terá continuação
Depois disso, resta ao longa-metragem estrelado por Wagner Moura partir para o reconhecimento internacional, inicialmente em festivais e depois nos circuitos comuns - vale lembrar que o primeiro "Tropa de Elite" ganhou o Urso de Ouro no Festival de Berlim de 2008.

De acordo com o distribuidor do filme no Brasil, Marco Aurélio Marcondes, "Tropa de Elite 2" já atraiu interesse de distribuidores internacionais e "está bem encaminhado", apesar de não poder entrar em detalhes no momento.

E para aqueles que acreditam que tamanho sucesso garante um "Tropa de Elite 3", o diretor José Padilha afirmou durante as entrevistas realizadas no lançamento do filme, em Paulínia, que essa possibilidade não existe. "Acabou. É isso aí", disse o cineasta, sugerindo que o novo filme pode ser encarado como uma trilogia com "Ônibus 174" (2002) e "Tropa de Elite" (2007).

Entendendo o cinema antes e pós-retomada

Ao ultrapassar a marca de 6,3 milhões de espectadores, "Tropa de Elite 2" tornou-se o filme mais visto da retomada, mas não o longa-metragem brasileiro mais assistido da história do país. A posição pertence a produção "Dona Flor e Seus Dois Maridos", dirigida por Bruno Barreto em 1976, que contabiliza 10,7 milhões de espectadores, seguida por "A Dama do Lotação", dirigida por Neville de Almeida em 1978, com 6,5 milhões - no ranking geral "Tropa 2" está em terceiro lugar.

Divulgação
Marieta Severo em "Carlota Joaquina - Princesa do Brazil": estreia em 1995 tornou-se marco da retomada
Essa divisão existe por causa do baque sofrido pelo cinema brasileiro em 1990, quando o governo do presidente Fernando Collor de Mello, por meio do Programa Nacional de Desestatização (PND), extinguiu a Embrafilme, empresa estatal criada em 1969 com a missão de fomentar a produção e distribuição de filmes brasileiros - atual papel da Ancine.

Por um breve período o cinema nacional praticamente deixou de existir. A mudança teve início com a criação da Lei do Audiovisual em 1993, e convencionou apontar o lançamento em 1995 do longa-metragem "Carlota Joaquina - Princesa do Brazil", de Carla Camurati como a retomada do cinema brasileiro.

Além desse momento de ruptura, outros fatores tornam complexas as comparações entre os sucessos de "Tropa de Elite 2" e "Dona Flor e Seus Dois Maridos", sendo uma delas a situação dos cinemas do país. Enquanto em 1976 o Brasil contava com 3.161 salas de exibição bem distribuídas, hoje esse número é de 2.110 - em sua maioria concentradas na região Sudeste, em áreas de renda mais alta das grandes cidades, como os shopping centers.

    Leia tudo sobre: Tropa de Elite 2

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG