Scorsese pode filmar amor de Elizabeth Taylor e Richard Burton

Diretor está cotado para comandar adaptação de biografia do lendário casal

iG São Paulo |

A morte de Elizabeth Taylor já começa a render frutos. No limbo há anos, um filme baseado na relação tempestuosa entre a atriz e o astro Richard Burton, casados duas vezes, pode finalmente chegar às telas, pelas mãos de ninguém menos do que Martin Scorsese.

Apesar de estar dando os últimos toques em seu primeiro longa-metragem em 3D, "Hugo Cabret", e ter confirmada uma cinebiografia de Frank Sinatra, o diretor é o favorito para conduzir o projeto do casal na Paramount Pictures, que já ganhou a benção dos herdeiros de ambos.

O roteiro será baseado em "Furious Love", livro dos jornalistas Sam Kashner e Nancy Schoenberger sobre os astros. A dupla teve acesso às cartas de amor dos dois para temperar a história, que nos últimos meses teve os direitos disputados por Natalie Portman e pelo roteirista David Seidler, ganhador do Oscar por "O Discurso do Rei".

Elizabeth Taylor e Richard Burton começaram seu relacionamento em 1963, nos sets de "Cleópatra", no qual o ator interpretava Marco Antônio, amante da rainha do Egito. Os dois já eram casados, sendo que Taylor estava com seu quarto marido.

O caso chocou Hollywood, o mundo e a imprensa, que passou a seguir todos os passos dos casal. Os dois oficializaram o matrimônio em 1964 e se divorciaram dez anos depois, em 1974. No ano seguinte, voltaram a se casar, mas a relação acabou pela segunda e última vez em 1976. Sobre o casamento, Burton tem uma frase famosa: "Você não pode ficar batendo duas bananas de dinamite sem esperar que elas explodam".

Taylor e Burton estrelam 11 filmes juntos, entre eles o aclamado "Quem Tem Medo de Virginia Woolf?" (1966), pelo qual a atriz ganhou seu segundo Oscar. Burton foi indicado sete vezes, mas nunca venceu o prêmio.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG