Ator inglês, que está na República Tcheca para receber homenagem, vai trabalhar no novo filme do diretor

Jude Law no Festival de Karlovy Vary
EFE
Jude Law no Festival de Karlovy Vary
O ator britânico Jude Law confessa que mudou de idéia sobre o cinema 3D após trabalhar em um projeto com o diretor Martin Scorsese. "Eu não era o maior admirador do 3D. Pensava que era uma armadilha", disse hoje o ator que foi a , na República Tcheca, para receber o "President's Award" do festival de cinema do balneário. Law ironizou o que considerava o motivo de sua rejeição à nova tecnologia. "Nunca encontrei óculos cômodos para o 3D", disse.

Scorsese começou a filmar o longa-metragem A Invenção de Hugo Cabret , obra homônima de Brian Selznick, em 3D. O filme é protagonizado, entre outros atores, por Law, que começa a filmar em setembro. Na segunda metade do ano, o ator deve começar a filmar também a sequência de Sherlock Holmes , de Guy Ritchie, e Contagion , do norte-americano Steven Soderbergh.

Law, de 38 anos, que dedicou boa parte de sua carreira a interpretar papéis de época, confessou que se sente mais à vontade em papéis ambientados nas primeiras décadas do século 20, sobretudo por causa do "vestuário". O ator, indicado ao Oscar duas vezes, lembrou, além disso, o impacto que teve em sua trajetória O Talentoso Ripley (1999), que lhe permitiu, sobretudo, descobrir o diretor britânico Anthony Minghella, morto recentemente. Mas aquele filme "foi o princípio do fim da rodagem desse tipo de filme, com um tema complicado, frente à acentuada tendência comercial de nossos dias", apontou, após expressar seu desejo de voltar a esse gênero.

Sobre o futuro do cinema, Law apontou a "ascensão" do cinema independente em países da Europa Central e Leste, e concretamente na Sérvia. Law destacou também sua satisfação pelo "entusiasmo e a participação" do público no festival tcheco, que celebra sua 45ª edição e termina no próximo sábado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.