Sou o único clinicamente são em Veneza agora , diz Herzog - Cinema - iG" /

Sou o único clinicamente são em Veneza agora , diz Herzog

VENEZA - Werner Herzog está radiante com o fato de ser o primeiro cineasta da história a ter dois filmes competindo em Veneza ¿ ¿The Bad Lieutenant ¿ Port of Call: New Orleans¿ e ¿My Son, My Son, What Have Ye Done?¿, apresentado na noite de sexta-feira. A coletiva de imprensa deste último aconteceu no início da tarde deste sábado.

Mariane Morisawa, enviada especial a Veneza |

"Nunca nenhum dos meus filmes foi aceito na competição de Veneza. Estive aqui em eventos paralelos", disse o diretor. Ele contou que exibiu "The Bad Lieutenant" para o diretor artístico Marco Müller e mencionou que tinha outra produção pronta, "My Son, My Son". "Ele ficou entusiasmado. Disse: Eu preciso deste filme. E eu falei para o Marco: Nenhum festival seria tão demente em mostrar dois filmes em competição do mesmo homem. Mas, como ele ficou tão entusiasmado, e achei muito curiosa a situação, aceitei."

Getty Images
Diretor Werner Herzog ao lado do ator Michael Shannon

Herzog comentou sobre a gênese do longa-metragem. "É baseado numa história real, sobre um ator talentoso que matou a mãe e se escondeu na própria casa, dizendo ter reféns. Ele foi declarado incapaz de ser julgado", diz. "Depois de oito anos e meio, ele foi solto, e o encontrei num trailer. A uma milha de distância eu podia afirmar que ele ainda era bem louco. Pior ainda foi quando, num canto do trailer, vi um pôster de Aguirre ¿ Cólera dos Deuses (filme de Herzog de 1972), com um crucifixo pendurado e uma vela acesa. Nunca mais falei com ele de novo. Mas o roteiro existia há muitos anos."

O modo como a produção foi desencadeada, no entanto, foi curiosa. "David Lynch e eu nos gostamos muito e nos respeitamos muito, apesar de sermos bem diferentes. Um dia conversávamos sobre os custos de produção cada vez mais altos ¿ US$ 100 milhões, US$ 150 milhões ¿ e disse: Como manifesto, deveríamos fazer apenas filmes de US$ 2 milhões e ainda assim trabalhar com os melhores atores. David perguntou: Por que não faz? Você tem projeto?. Eu disse que sim. E ele: Quando pode começar?. Eu respondi: Amanhã. Claro que não foi amanhã. David disse: Quero entrar nisso. Aí você pode vender com facilidade para a França", disse Herzog, entre risos. David Lynch virou produtor executivo.

Na entrevista, o cineasta apareceu ao lado de Michael Shannon, que interpreta o personagem principal, Brad Macallam ¿ o ator foi indicado ao Oscar neste ano, por "Foi Apenas um Sonho", com um papel de um homem igualmente perturbado. "Estava conversando sobre doença mental e loucura no jantar de ontem. A noção de loucura é construída. Não dá para provar quem é louco e quem não é, e dizer como se comportar corretamente. Gosto de explorar personagens longe da normalidade, porque a normalidade é uma prisão. Acho que sou ator para não ser uma pessoa normal fazendo coisas normais", disse. Ele contou que não teme ser rotulado como o ator que faz malucos. "E veja, não é que eu me sente em casa com uma pilha gigante de roteiros, as pessoas me procuram por causa dos trabalhos que fiz antes. Ninguém me procura querendo que eu faça Indiana Jones, porque nunca fiz. Não me preocupo com isso, só quero que minha filha cresça feliz e vá para uma boa escola."

O diretor acrescentou que não conhecia o trabalho de Shannon antes de escalá-lo para viver o protagonista. "Como diretor, eu preciso ter um olhar certo ¿ tive esse olho para o Klaus Kinski, quando ele ainda não era conhecido. Vi uns 30 segundos do trabalho de Michael e foi isso."

Herzog também falou sobre sua preferência pelos personagens perturbados, constantes em sua obra. "Muitos acham que tenho afinidade com a loucura. Provavelmente sou a única pessoa em Veneza agora que sou clinicamente são", disse. No caso do protagonista de "My Son, My Son, What Have Ye Done?", afirmou: "Eu questiono se ele é louco ou não. Mas deixo aberto. O limite de loucura e sanidade fica borrado".

Leia as últimas notícias do Festival de Veneza

    Leia tudo sobre: cinemafestival de venezawerner herzog

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG