Quase um Tango busca vida real através da simplicidade, revela diretor - Cinema - iG" /

Quase um Tango busca vida real através da simplicidade, revela diretor

GRAMADO ¿ Depois da estreia na noite de ontem, a equipe e elenco do filme Quase um Tango... participaram na manhã desta segunda-feira (10) de um debate com o público na Expogramado, complexo afastado do centro da cidade que sedia este ano a infra-estrutura do festival. Mais uma vez, o diretor Sérgio Silva destacou que a simplicidade procurou dar o tom do filme, tentando aproximar a obra da realidade.

Marco Tomazzoni |

Marco Tomazzoni

Sérgio Silva e Vivianne Pasmanter

O roteiro enfoca a vida do agricultor Batavo (Marcos Palmeira), que, depois de uma desilusão amorosa, sai do interior gaúcho e parte para tentar a vida na capital. "Não é um personagem com grandes conflitos, que viva sartrianamente", explicou o diretor. "Não é simplório, mas um homem simples, conheço muita gente assim. E não sei vocês, mas minha vida é tão babaca", confessou, rindo.

Como inspiração, inclusive para o nome do protagonista, disse que bebeu bastante em "Kaos" (1984), longa episódico dos Irmãos Taviani, e em clássicos que assistia na juventude, como os trabalhos de Robert Bresson. "Não saberia fazer 'Tropa de Elite' e 'Se Eu Fosse Você', gosto de drama arrastado. Meu sonho era fazer um filme quatro horas e meia em que não acontece nada", contou, bem humorado.

"Quase um Tango..." é o primeiro filme contemporâneo de Silva, que tem dezenas de trabalhos do currículo, entre curtas, médias e dois longas ¿ "Anahy de las Misiones" e "Noite de São João" ¿, todos históricos. "Sempre tive muito medo. Em filmes de época, é só pesquisar e pronto. Mas se a gente filma hoje uma cena com carro e roupas, no ano que vem já virou tudo de época."

A atriz Vivianne Pasmanter foi bastante aplaudida por sua atuação no filme, no qual interpreta quatro personagens, todas interesses amorosos de Batavo. "Esse era o propósito, ele se interessaria sempre pela mesma mulher, por esse biotipo", afirmou Silva. Reverente, a atriz agradeceu a oportunidade de poder se reinventar em cena. "Quando recebo um trabalho, vivo com ele o tempo inteiro, durmo, como com ele. Nesse caso, como eram vários personagens, para qualquer lugar que eu olhava, tinha inspiração."

Leia as últimas notícias do Festival de Gramado

    Leia tudo sobre: festival de gramado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG