Lebanon , de Israel, é o vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza - Cinema - iG" /

Lebanon , de Israel, é o vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza

VENEZA ¿ O filme ¿Lebanon¿, de Samuel Maoz, foi o vencedor do Leão de Ouro do 66º Festival de Veneza. O longa-metragem trata da guerra do Líbano de 1982 da perspectiva de soldados dentro de um tanque. ¿Obrigado pela felicidade que estou sentindo agora¿, disse o diretor israelense. ¿Dedico este prêmio às milhares de pessoas que voltaram da guerra, como eu, sãos e salvos. Milhares de pessoas que aprenderam a viver e até sorrir sentindo dor¿, afirmou.

Mariane Morisawa, enviada especial a Veneza |

AFP
O diretor israelense Samuel Maoz segura o Leão de Ouro pelo filme "Lebanon"

O Prêmio Especial do Júri ficou com Soul Kitchen, dirigido pelo alemão de origem turca Fatih Akin. Grazie Mille! Grazie, grazie, grazie!, disse o diretor. Isso significa muito para nós. Quero agradecer à minha equipe, este prêmio é para todo o mundo, dos motoristas aos produtores. Preciso agradecer especialmente ao co-roteirista e meu melhor amigo, Adam Bosdoukros. Sem sua coragem, não conseguiríamos fazer, afirmou.

Já o troféu de melhor direção foi para as mãos da iraniana Shirin Neshat, por Women Without Men. Estou quase desmaiando, disse a diretora. Obrigada, Marco Müller, por acreditar neste filme quando todas as forças estavam contra nós. Este é um projeto verdadeiramente internacional. A mensagem desse filme é a luta por liberdade e democracia. Ele fala ao mundo e ao meu país como temos lutado por democracia há 100 anos. Faço um apelo ao governo do Irã, para que dê ao povo seus direitos humanos básicos, liberdade e democracia e que faça as pazes com o povo do Irã. 

AFP

Colin Firth: prêmio de melhor ator em Veneza

A Coppa Volpi de interpretação masculina foi concedida a Colin Firth, pelo longa-metragem A Single Man, de Tom Ford. Este país me deu muitos presentes durante a vida, a literatura, cinema, a cozinha, o vinho, a grappa. E me deu uma mulher e dois filhos maravilhosos, agradeceu o ator em italiano. Estou aqui pelo presente que Tom Ford me deu, ele me deu sua confiança, não como um acordo profissional. Ele fez algo muito pessoal, muito precioso e importante para ele, algo que virou muito pessoal, precioso e importante para mim, completou.

Tom, você é um dos melhores diretores com que trabalhei, um artista verdadeiro, não vejo a hora de seu próximo filme, vou deixar minha agenda aberta, caso você queira me chamar, mesmo que seja para ser um figurante, continuou, em inglês. Por fim, disse à mulher, novamente em italiano: Obrigada pela paciência, por aguentar esses maridos diversos.

Ksenia Rappoport levou a Coppa Volpi de atuação feminina, por La Doppia Ora, de Giuseppe Capotondi. Me sinto como se estivesse voando de paraquedas, disse a atriz, que errou a palavra paraquedas, tão nervosa estava. Sem a equipe e sem meu companheiro de cena, Filippo Timi, não conseguiria este troféu. Vou dedicá-lo a meu diretor.

Jasmine Trinca, do filme Il Grande Sogno, dirigido por Michele Placido, ganhou o troféu Marcello Mastroianni, dado ao melhor ator ou atriz emergente. Muito obrigada ao júri. Estou realmente feliz. Não posso deixar de dividir esse prêmio com os outros dois protagonistas, Riccardo Scamarcio e Luca Argentero, afirmou a atriz.

AFP

A russa Kseniya Rappoport foi eleita melhor atriz pelo filme italiano "La Doppia Ora"

O Osella de melhor contribuição técnica foi para a direção de arte de Mr. Nobody, de Jaco van Dormael, feita por Sylvie Olivé. Este é um presente dos céus, disse ela. Eu acredito, como no filme, que você precisa dizer às pessoas que vocês as ama. Jaco, eu te amo.

Todd Solondz ficou com o Osella de melhor roteiro, por Life During Wartime, dirigido por ele mesmo. Isso é divertido!, disse o diretor e roteirista. Ganhar um prêmio faz com que você volte a ter 11 anos de novo. Sou uma pessoa feliz. Grazie a tutti!, completou. O cineasta derrubou o prêmio no palco.

AP

Fatih Akin com o Grande Prêmio do Júri

O júri da competição do 66º Festival de Veneza era presidido pelo cineasta de Taiwan Ang Lee e formado pela atriz francesa Sandrine Bonnaire, pela cineasta italiana Liliana Cavani, pelo diretor russo Sergey Vladimirovic Bodrov, pelo cineasta americano Joe Dante, pelo diretor indiano Anurag Kashyap e pelo cantor e compositor italiano Luciano Ligabue.

O prêmio Luigi de Laurentiis, para o melhor filme de estreia, foi para Engkwentro, de Pepe Diokno, vencedor também do prémio da mostra Horizontes. Se soubesse, eu tinha vindo com um par de calças melhor, brincou o diretor, vestindo jeans. Quando estava no avião para cá, não podia acreditar, porque tivemos muitas dificuldades de terminar este filme, afirmou o jovem cineasta, que acaba de completar 22 anos. Ele dedicou o prêmio à sua equipe. O júri era presidido por Haile Gerima e o vencedor foi escolhido entre todos os longas-metragens apresentados no festival.

A menção especial da seção Controcampo Italiano foi para o documentário Negli Occhi, de Francesco Del Grosso e Daniele Anzelotti. O prêmio da mostra foi entregue a Cosmonauta, de Susanna Nichiarelli.

Veja abaixo a lista completa de vencedores do Festival de Veneza 2009:

Melhor filme ¿ Leão de Ouro: Lebanon (Israel)
Prêmio especial do júri: Soul Kitchen , de Fatih Akin
Melhor direção: Shirin Neshat, Women Without Men
Melhor ator: Colin Firth, A Single Man
Melhor atriz: Ksenia Rappoport, La Doppia Ora
Melhor ator ou atriz emergente: Jasmine Trinca, Il Grande Sogno
Melhor roteiro: Todd Solondz, por Life During Wartime
Melhor contribuição técnica: Sylvie Olivé, pela direção de arte Mr. Nobody
Melhor filme de estreia: Engkwentro, de Pepe Diokno
Controcampo Italiano - Menção honrosa: Negli Occhi, de Francesco Del Grosso e Daniele Anzelotti
Prêmio da mostra Controcampo Italiano: Cosmonauta, de Susanna Nichiarelli

Leia as últimas notícias do Festival de Veneza

    Leia tudo sobre: festival de venezaisrael

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG