É uma linda história de amor , diz Viggo Mortensen sobre A Estrada - Cinema - iG" /

É uma linda história de amor , diz Viggo Mortensen sobre A Estrada

VENEZA ¿ A coletiva de ¿A Estrada¿ (¿The Road¿), no início da tarde desta quinta-feira (02) em Veneza, transcorreu em clima bem mais ameno que o filme. Na exibição de ontem à noite, o tom pesado, apocalíptico da trama baseada no romance de Cormac McCarthy tinha deixado a plateia de jornalistas sem reação ao final da sessão, apesar da superior qualidade do longa-metragem em relação ao italiano ¿Baarìa¿, o primeiro da mostra competitiva.

Mariane Morisawa, enviada especial a Veneza |

AFP

Viggo Mortensen e o ator mirim Kodi Smit-McPhee na coletiva de imprensa em Veneza

No longa, um pai e um filho vagam pelos Estados Unidos em direção ao sul, depois que uma catástrofe nunca determinada se abateu sobre a Terra. Eles são interpretados, respectivamente, por Viggo Mortensen e o menino Kodi Smit-McPhee, muito aplaudidos pelos jornalistas na apresentação da mesa, onde estavam também o diretor e o roteirista John Penhall.

Viggo disse que não teve muitas dúvidas em aceitar o papel. Tive a sorte de terem me oferecido o trabalho. Acho uma linda história de amor. É difícil de ver e de contar. Estava um pouco cansado na época, mas não tive de pensar muito, afirmou. Indagado se, por ser pai, tinha tido uma conexão mais pessoal com a história, ele disse que, inicialmente, sim. Mas não importa se você é ou não, porque todo o mundo é filho de alguém. É uma história de amor, disse, virando-se para Kodi e dizendo: Não quero fazer você ficar vermelho ¿ os dois ficaram brincando o tempo todo, e na hora de tirar fotos fizeram chifrinhos um no outro.

AFP

Viggo Mortensen acena para fãs

É uma situação com a qual todo o mundo pode se relacionar. Claro que levada ao extremo, porque você sabe que, se aquele pai sumir, não há abrigo, comida, amigos para aquele filho. Mas a primeira vez que falei com o Cormac McCarthy, falei sobre meu filho, ele falou sobre o dele, contou. Em seguida, derramou-se em elogios para Kodi, de 12 anos. Tive grande comunicação com ele, não só nos tornamos grandes amigos como tivemos uma ótima relação profissional. Ele ia muito além da idade que tem. Não o via como um ator-mirim. Ele foi muito profissional, eram temas e condições difíceis, mas ele equilibrava a vontade de se divertir de uma criança com um foco completo. Porque no fim é sobre duas pessoas juntas o tempo todo. Um bom relacionamento entre os dois era, portanto, fundamental.

O australiano Kodi disse que seu momento mais difícil foi uma cena de um banho de cachoeira. Achei que ia ser a melhor parte, mas foi diferente quando cheguei lá, porque estava muitos graus negativos. Depois entrei numa jacuzzi portátil que tínhamos no set. Aí o John [Hillcoat, o diretor] veio me dizer: Kodi, vamos ter de fazer uma vez mais. Demorei um tempo para responder, disse. Esses australianos não são de nada!, brincou Viggo. O garoto afirmou que nunca pensou se os papeis intensos que tem feito influenciam sua vida. Sempre me perguntam isso. A verdade é que me sinto atraído por esses papeis intensos, e eles vão se tornando cada vez mais intensos. Quando trabalho, fico com adultos porque preciso. Depois eu volto a circular com meus amigos e libero meu lado mais brincalhão, mais criança, disse. 

A Estrada foi rodado em diversas locações ¿ entre elas, a Nova Orleans ainda devastada pelo furacão Katrina ¿ e não em estúdio, apesar de suas imagens quase irreais. Apesar de Cormac McCarthy ser conhecido por sua visão pessimista da vida ¿ quem viu Onde os Fracos Não Têm Vez, dirigido por Joel e Ethan Coen, sabe ¿, John Hillcoat disse que este é diferente: Ele mesmo diz que este é seu livro sobre o melhor da natureza humana. A Estrada estreia em fevereiro no Brasil.

Leia as últimas notícias do Festival de Veneza

    Leia tudo sobre: festival de veneza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG