Qual deveria ser a primeira medida do próximo presidente na área da cultura?

A pedido da reportagem do iG, atores, diretores e produtores respondem a esta questão

Valmir Moratelli, enviado a Miami (EUA) |

Para José Wilker, política e cultura não deveriam se misturar. “Eles só atrapalham”, diz o ator se referindo aos políticos. Para a produtora de “O Bem Amado”, Paula Lavigne, o ideal seria o Brasil ter dois ministérios diferentes: um para a Cultura e outro para a Indústria Cultural, que englobaria o cinema. “Depois da indústria automobilística, a do cinema é a que mais emprega gente no mundo, além de ser um produto de exportação da imagem do brasileiro. É preciso mais atenção a isso”, explica.

Mauricio Farias, diretor do programa de TV “A Grande Família”, sugere que a primeira decisão do próximo presidente deveria estar voltada a baratear o acesso à cultura. “O ingresso do cinema, por exemplo, é muito caro. Uma saída são as salas digitais que podem ser levadas para todo o canto do País”, diz. Já Glória Pires vai ainda mais fundo no problema. “A questão não é só o político em si, mas a política”, diz.

A pedido da reportagem do iG , que esteve no Brazilian Film Festival Miami, atores, diretores e produtores respondem “qual deveria ser a primeira medida do próximo presidente na área da cultura”. Confira na galeria a seguir o que eles pensam sobre o assunto.

    Leia tudo sobre: Brazilian Film Festival

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG