Proibição do filme de Angelina Jolie gera polêmica na Bósnia

Roteiro da estreia da atriz na direção de longa-metragem foi entregue ao governo, que pode reverter decisão

France Presse |

AFP
Angelina Jolie e equipe no set de filmagens: trabalho já começou em Budapeste, na Hungria
A decisão de anular a autorização das filmagens na Bósnia do primeiro filme de Angelina Jolie como diretora, por queixas de vítimas da guerra de 1992-95, casou polêmica em Sarajevo, onde muitos esperavam pela chegada da estrela de Hollywood. A diretora bósnia Jasmila Zbanic, cujo filme "Grbavica" ganhou o Urso de Ouro na Berlinale de 2006, denunciou o ato "primitivo e totalitário" das autoridades.

Gabrilo Grahovac, ministro da Cultura da Federação Croato-Muçulmana, uma das duas entidades da Bósnia, anunciou na quarta-feira que anularia a permissão para filmar em território bósnio o longa-metragem de Angelina Jolie. O ministro voltou atrás em uma decisão tomada em setembro pelo mesmo Ministério, depois de uma reunião com membros de uma associação local de mulheres muçulmanas estupradas durante a guerra da Bósnia, num episódio de limpeza étnica.

A imprensa bósnia argumentou recentemente que o filme tratava de uma história de amor entre uma mulher muçulmana violentada e seu carrasco, um sérvio, durante a guerra entre as duas comunidades que devastou a Bósnia na década de 1990.

Para que Angelina Jolie possa obter novamente a autorização para filmar na Bósnia, será necessário que o filme conte "uma história diferente da que é conhecida hoje, depois do que nos disseram as pessoas que leram o roteiro", decidiu o ministério.

O roteiro, como foi descrito pela imprensa bósnia, indignou associações de vítimas da guerra. "A história é baseada em uma mentira. Entre os milhares de testemunhos de mulheres estupradas durante a guerra, não existe um que conte uma história de amor entre a vítima e seu carrasco", disse à AFP Bakira Hasecic, presidente da associação "Mulheres vítimas da guerra" de Sarajevo.

Mas o coprodutor bósnio do filme, Edin Sarkic, responsável pela empresa "Scout Film", negou veementemente essa versão e declarou à AFP que somente na quarta-feira havia entregado o roteiro para o Ministério da Federação Croato-Muçulmana. "Todos julgam as coisas sem mesmo saber do que se tratam, já que ninguém leu o roteiro", enfatizou Sakic. "Agora, espero uma resposta positiva o mais breve possível, já que não posso avançar com meu trabalho."

Segundo a revista norte-americana Variety, o filme trata simplesmente de uma história de amor entre um sérvio e uma bósnia no início da guerra e da influência do conflito em seu relacionamento. A autorização para filmar foi concedida em setembro com base em uma sinopse do filme, informou Sarkic.

As filmagens, anunciadas em agosto pela atriz, quando ela viajou para a Bósnia pela segunda vez em quatro meses, já começaram na Hungria e deveriam continuar em novembro na Bósnia. Como embaixadora da boa vontade do Alto Comissariado da ONU para Refugiados, a atriz americana viajou em abril com seu marido, Brad Pitt, para visitar refugiados no leste do país.

    Leia tudo sobre: angelina joliebósnia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG