Poeta checheno Ruslan Akhtakhanov é morto a tiros em Moscou

Investigadores russos acreditam que assassinato tenha sido encomendado

Reuters |

Reuters
O poeta Ruslan Akhtakhanov
Um poeta e acadêmico da região volátil da Chechênia foi encontrado morto nesta quarta-feira (16) do lado de fora de um prédio de apartamentos em Moscou, no que investigadores disseram parecer se tratar de um assassinato contratado.

Ruslan Akhtakhanov foi baleado na cabeça no norte de Moscou, por volta de meia-noite, e seu assassino fugiu em um carro, segundo a polícia. Mais tarde, autoridades encontraram o veículo queimado no sul da cidade, informaram agências de notícias russas.

"A forma como o crime foi cometido ... permite que a conclusão a ser tirada é que o crime foi um assassinato contratado", disse Vladimir Markin, porta-voz do Comitê Investigativo, principal autoridade federal de investigação da Rússia.

A violência da Chechênia tem invadido Moscou desde que as forças federais travaram duas guerras separatistas na região desde a década de 1990. Uma insurgência islâmica, enraizada nas guerras, ainda é atuante na Chechênia e em grande parte do restante do Cáucaso do Norte.

Markin disse ao canal de notícias russo Vesti 24 que investigadores estavam vasculhando seu círculo de amigos e conhecidos.

Akhtakhanov, que ganhou um prêmio por sua poesia, foi administrador na Academia Moderna Humanitária de Moscou, onde concedeu ao líder da Chechênia apoiado pelo Kremlin Ramzan Kadyrov o título de professor honorário.

Grupos de direitos humanos dizem que Kadyrov baseia seu comando na Chechênia em leis duras, incluindo sequestro, tortura e assassinatos extra-judiciais para combater a insurgência islâmica.

    Leia tudo sobre: Ruslan Akhtakhanovrússiapoesia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG