Personagens marcantes da filmografia dos irmãos Coen

Conheça cinco tipos curiosos dos longas dos autores de "Bravura Indômita"

iG São Paulo |

Ethan e Joel Coen são duas peças raras no extenso tabuleiro de Hollywood. Enquanto muitos cineastas seguem as regras impostas pelos estúdios, os irmãos nunca abriram mão de seu método de trabalho, o que inclui popular seus roteiros com tipos curiosos passando por situações absurdas.

Se no início da carreira, ainda como parte do circuito alternativo de filmes, os Coen filmaram Nicolas Cage e Tim Robbins como os abobalhados de "Arizona Nunca Mais" e "Na Roda da Fortuna", o aumento de prestígio e público não inibiu a dupla, que transformou o "queridinho da América" Tom Hanks no vilão caricato de "Matadores de Velhinhas" e fez do galã Brad Pitt um estúpido professor de educação física em "Queime Depois de Ler".

Para comemorar o lançamento de seu primeiro western, "Bravura Indômita", conheça cinco personagens marcantes da filmografia dos irmãos Coen.

Gaear Grimsrud - "Fargo"

Quando não são completos idiotas, os tipos marcantes dos Coen costumam ser pessoas perigosas. Esse é o caso de Gaear Grimsrud, personagem interpretado pelo sueco Peter Stormare no suspense "Fargo", de 1996. Fumante compulsivo, esse criminoso consegue intimidar as pessoas com seu olhar quase morto e a ausência de palavras - o completo oposto de seu parceiro, Carl Showalter, interpretado por Steve Buscemi. Vale lembrar que Gaear é responsável por mais de metade dos assassinatos do filme.

The Dude - "O Grande Lebowski"

Tido como uma das pessoas mais preguiçosas de Los Angeles, o hippie Jeffrey Lebowski, que se autointitula "The Dude" [algo como "O Cara"], tornou-se um dos personagens mais famosos do ator Jeff Bridges. Desempregado convicto, ele divide seu tempo entre jogar boliche com os amigos, fumar maconha e beber white russians - um coquetel que mistura vódca, licor de café e leite. Em "O Grande Lebowski", de 1998, o Dude é confundido com um milionário cuja mulher deve dinheiro para um famoso pornógrafo - e acaba se envolvendo numa trama complexa após assistir ao tapete de sua sala ser urinado.

Anton Chigurh - "Onde os Fracos Não Têm Vez"

Apesar de não terem criado o personagem Anton Chigurh, foram os Coen que definiram qual seria sua aparência na adaptação do romance "Onde os Velhos Não Têm Vez", de Cormac McCarthy. Interpretado pelo espanhol Javier Bardem, Chigurh é um assassino de aluguel com um código de ética rígido - regido em diversos momentos por uma jogada de "cara ou coroa" - que, para matar suas vítimas, faz uso de uma pistola pneumática utilizada para abater gado. Retratado no roteiro como "o mal incontrolável", o criminoso de "Onde os Fracos Não Têm Vez", de 2007, recebeu dos Coen um penteado "estilo chanel".

Harry Pfarrer - "Queime Depois de Ler"

Harry Pfarrer é um dos personagens abobalhados da comédia "Queime Depois de Ler", de 2008. Interpretado por George Clooney, o agente do Departamento de Justiça dos Estados Unidos tem três obsessões: pisos de residências, praticar cooper após o sexo e conhecer mulheres maduras enquanto a sua própria está viajando. Vítima de uma série de coincidências infelizes, o limitado mulherengo acaba fazendo parte de uma conspiração governamental que nunca existiu.

Larry Gopnik - "Um Homem Sério"

Um caso à parte na filmografia dos Coen, Larry Gopnik, personagem de Michael Stuhlbarg em "Um Homem Sério", de 2009, é uma pessoa tão comum que beira a monotonia. Pai de uma família judia, professor de física e vizinho pacato, ele luta para manter a sanidade diante dos demais personagens da trama - uma verdadeira horda de excentricidades promovida pelos cineastas. O irmão doente, o filho maconheiro, a mulher e seu amante, o superior do colégio e uma série de rabinos são suficientes para conduzir o pobre Larry a uma crise nervosa - provando que ser uma pessoa comum no universo dos Coen não é tarefa fácil.

    Leia tudo sobre: irmãos coen

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG