Atores de "A Invasão" passaram um mês visitando um edifício na Avenida São João

Cena do espetáculo
Divulgação
Cena do espetáculo "A Invasão"
Na calada da noite, correria para dentro de um prédio vazio, medo de a polícia chegar. "Podem vir, por aqui", ecoa o grito para a multidão. E começa a peça "A Invasão", montagem que estreia amanhã, inspirada em ocupações de sem-teto na capital.

O texto é do dramaturgo Dias Gomes, escrito na década de 1960 sobre a antiga favela vertical do Esqueleto, no Rio. Polêmico já àquela época, foi proibido e ficou dez anos engavetado. "Quisemos retomá-lo porque fala da moradia, problema muito atual da metrópole", diz o diretor Antonio Netto.

Para adequar a montagem à realidade paulistana, os atores ficaram um mês visitando prédios ocupados no centro e convivendo com mais de 150 sem-teto de um prédio invadido na Avenida São João - na madrugada de 4 de outubro, cerca de 2,5 mil pessoas ocuparam quatro edifícios abandonados no centro de São Paulo. A Justiça, então, determinou reintegração de posse e parte do grupo migrou.

"Meu personagem é o primeiro a entrar. Por acaso, cheguei lá (no prédio da São João) e encontrei justo a primeira invasora", conta o ator Leandro Rossato. "Apesar do teor político, quisemos focar nas histórias de vida."

Para "retribuir a visita", o elenco convidou os sem-teto da São João para assistir à pré-estreia, que ocorre hoje. "Vai ser a primeira vez da maioria deles em um teatro", conta o diretor.

Serviço
"A Invasão" - Teatro Commune (Rua da Consolação, 1.218). Sábados, às 19 horas, e domingos, às 18 horas. Telefone: (11) 3476 0792. Ingressos: R$ 40

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.