Patrice Chéreau trata de amor com intensidade

VENEZA ¿ Os dramas de Patrice Chéreau normalmente têm uma intensidade grande, com diálogos fortes ¿ ele dirige teatro também e estará no Brasil nesta semana para apresentar peça e leitura dramática em São Paulo e no Festival Porto Alegre em Cena. Não é diferente em ¿Persécution¿ (perseguição), apresentado na manhã deste sábado para jornalistas na competição do 66º Festival de Veneza.

Mariane Morisawa, enviada especial a Veneza |

Divulgação

Charlotte Gainsbourg e Romain Duris em cena do francês "Persécution"

Romain Duris é Daniel, um rapaz aparentemente bem de vida que trabalha reformando casas e apartamentos. Quando precisa, arruma trabalho. Ele tem uma namorada de três anos, Sonia (Charlotte Gainsbourg), a quem ama. Mas, quando estão juntos, algo dá errado, e eles não se entendem.

Ao mesmo tempo, Daniel passa a ser perseguido por um louco (Jean Hugues Anglade), um homem que se diz apaixonado pelo protagonista. Ele se muda para o apartamento em frente e invade o apartamento e a vida de Daniel.

O relacionamento do casal vai ficando cada vez mais sufocado à medida que o filme progride. Nenhum dos dois sabe amar. O louco, por sua vez, conhece o amor, não tem medo de demonstrar.

A trama, contada com densidade por Chéreau e com atuações marcantes do trio principal, fala bem dos tempos de hoje, que não são apenas de guerra entre as nações, mas também de desentendimentos e desencontros no nível mais pessoal. 

Leia as últimas notícias do Festival de Veneza

    Leia tudo sobre: festival de veneza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG