Os tentáculos de J.J. Abrams na TV e no cinema

Conheça a história do nerd que produziu o fenômeno "Lost", resgatou a franquia "Star Trek" e dirige "Super 8"

Guss de Lucca, iG São Paulo |

Não é apenas à frente das câmeras que os nerds têm ganhado destaque em Hollywood . Entre a atual leva de produtores que cresceram lendo HQs e reverenciando filmes como "Star Wars" (anteriormente conhecido como "Guerra nas Estrelas"), o nome de J.J. Abrams foi destaque na última década e deve continuar em alta nos próximos anos.

Seu último trabalho na direção, "Super 8" , que estreia no Brasil nesta sexta-feira (dia 12), recupera uma certa inocência dos filmes de aventura que marcaram os anos 1980 e homenageia o cineasta Steven Spielberg - não por coincidência, produtor do longa-metragem.

Getty Images
Produtor, roteirista, diretor e compositor: J.J. Abrams é um entusiasta de todo o processo audiovisual
Filho do produtor de TV Gerald W. Abrams, aos 24 anos Jeffrey Jacob "J.J." Abrams já produzia seu primeiro filme, a comédia "Milionário num Instante", de 1990, com James Belushi e Charles Grodin nos papeis principais.

Um ano mais tarde, o jovem assinava o roteiro de "O Regresso de Henry", drama encabeçado por Harrison Ford e Annette Bening. Logo depois, em 1992, produziu e roteirizou "Eternamente Jovem", romance com um toque de ficção científica estrelado pelo astro em ascensão Mel Gibson .

Divulgação
Abrams com Zachary Quinto no set de "Star Trek"
Se os primeiros filmes serviram para mostrar sua versatilidade em três gêneros distintos, Abrams conseguiu em 1998 trabalho dentro de sua área de interesse: a aventura. É dele, em parceria com Jonathan Hensleigh, o roteiro de "Armagedom", sucesso de bilheteria que reuniu dois gigantes da indústria cinematográfica: o diretor Michael Bay (que viria a adaptar a franquia "Transformers" ) e o produtor Jerry Bruckheimer (responsável pela série "Piratas do Caribe" ).

Certo da necessidade de investir em suas próprias ideias, no mesmo ano em que "Armagedom" arrasava nas bilheterias mundiais, Abrams fundou uma produtora, a Bad Robot Productions. O nome, que em tradução significa "Robô Mau", vem de seu fascínio por robôs - consta que o cineasta possui uma coleção de robôs de brinquedo antigos.

Atuando inicialmente na TV, a produtora emplacou o drama "Felicity" e a série de aventura "Alias", que projetou a carreira da atriz Jennifer Garner, em 2001. Mas os holofotes só se voltaram à Bad Robot em 2004, com o lançamento de "Lost" , um dos seriados mais populares da última década.

Sua fórmula, que revelava em doses homeopáticas o enigma que envolvia os sobreviventes de um acidente de avião, formou uma base de fãs barulhentos .

Em 2009, Abrams aceitou relançar a sucateada série de ficção científica "Star Trek" (anteriormente conhecida como "Jornada nas Estrelas"). O desafio, de acordo com ele, foi "recuperar o espírito de algo criado há mais de 40 anos e torná-lo relevante para os dias de hoje".

Divulgação
J.J. Abrams dirige Tom Cruise no terceiro "Missão: Impossível": primeira experiência como diretor
O convite da Paramount Pictures para ele dirigir "Star Trek" não surgiu do nada. Porque na primeira vez que tinha sentado na cadeira de diretor, para comandar "Missão Impossível 3", em 2006, Abrams conseguira manter os bons números da série estrelada por Tom Cruise. O filme arrecadou US$ 397 milhões (R$ 648 milhões).

Enquanto promovia o terceiro "Missão Impossível" no Japão, Abrams teve a ideia de desenvolver um filme de monstro aos moldes dos japoneses. "Eu e meu filho estávamos vendo alguns brinquedos do Godzilla e pensei que nós precisávamos de um monstro americano, algo diferente de King Kong. Eu amo King Kong, que é adorável, e amo o charme do Godzilla, mas queria algo insano e intenso".

Getty Images
Abrams e Spielberg: objetivo da dupla com "Super 8" foi resgatar a magia de filmes como "E.T."
Dessa ideia surgiu "Cloverfield - Monstro", longa produzido por ele em 2008. A história, que registra a invasão de uma criatura gigantesca na cidade de Nova York pela câmera de um grupo de amigos, transformou um investimento de US$ 25 milhões (R$ 40 mi) em uma bilheteria de US$ 170 milhões (R$ 277 mi).

Com experiência em diversos gêneros e o entusiasmo de um jovem cineasta, não foi surpresa o "Star Trek" de Abrams agradar aos fãs antigos da série - e ainda atrair uma nova geração de trekkers. Seu filme, o 11º da franquia, foi o único da franquia a receber um Oscar - o de melhor maquiagem em 2010.

Então Abrams embarcou no seu projeto mais autoral. "Super 8", que foi escrito, produzido e dirigido por ele, conta a história de um grupo de crianças que, em 1979, testemunha um desastre de trem enquanto grava um filme amador de zumbis - acidente que desencadeia uma série de acontecimentos inusitados.

Não por acidente, a produção do projeto é de Steven Spielberg, um dos cineastas preferidos de Abrams e cuja obra (em especial "E.T. - O Extraterrestre", de 1982) serviu de inspiração para o projeto.

Aos 45 anos, Abrams colhe os frutos de seus sucessos. Em sua lista de novos projetos estão o roteiro e a produção de "Missão: Impossível 4 - Protocolo Fantasma" , que estreia em 16 de dezembro, e as sequências de "Star Trek" e "Cloverfield - Monstro", prometidas respectivamente para 2012 e 2013.

Na TV, Abrams assina a produção de dois novos seriados: o drama "Person of Interest", que é encabeçado pelos atores Michael Emerson, Jim Caviezel e Taraji P. Henson e cuja estreia nos EUA está marcada para 22 de setembro, e a ficção científica "Alcatraz" , que será exibida em 2012.

    Leia tudo sobre: j.j. abramssuper 8

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG