Os filhos mais malvados do cinema

Lista tem desde Macaulay Culkin até o imperador romano Commodus

iG São Paulo |

A estreia de "Precisamos Falar Sobre o Kevin" , drama estrelado pela atriz Tilda Swinton, adiciona um novo nome à lista dos mais malvados filhos do cinema. No filme, o jovem Kevin (Ezra Miller) não poupa esforços para provocar a mãe, criando uma série de maldades desde a infância até sua adolescência.

Divulgação
Ezra Miller no papel de um jovem psicopata no drama "Precisamos Falar Sobre o Kevin"
Veja abaixo outros filhos que estragaram a vida dos pais nos cinemas.

Damien Thorne, de "A Profecia" (1976)

Ser o Anticristo é a desculpa ideal para matar um monte de gente. Ao menos é dessa forma que o pequeno Damien (Harvey Stephens) age no suspense "A Profecia". Adotado por um casal que perdeu o bebê no nascimento, Damien coleciona incidentes bizarros como fazer a própria babá se enforcar e derrubar a mãe de uma varanda no intuito de fazê-la abortar.

Reprodução
Macaulay Culkin em "O Anjo Malvado"
Henry Evans, de "O Anjo Malvado" (1993)

Interpretado por Macaulay Culkin, até então o menino divertido da série "Esqueceram de Mim", Henry Evans é a síntese do filho malvado. Dissimulado, ele cria situações para jogar nas costas do primo, o inocente Mark Evans (Elijah Wood), a culpa por seus esquemas maléficos, que incluem tentar matar a irmã e a mãe.

Siga o iG Cultura no Twitter

Commodus, de "Gladiador" (2000)

Enquanto outros filhos da lista tentaram matar os próprios pais no final da história, o romano Commodus (Joaquin Phoenix) asfixia o pai, o imperador Marco Aurélio (Richard Harris), nas primeiras cenas do filme "Gladiador". O motivo: ciente de todas as falhas de caráter do filho, Marco Aurélio decidiu não entregar a Commodus o império. E morreu.

Joshua Cairn, de "Joshua - O Filho do Mal" (2007)

Joshua Cairn (Jacob Kogan) pode ser classificado como um psicopata em formação. Avesso aos esportes, o menino de nove anos prefere ouvir música clássica (no caso, a "Marcha Fúnebre") e matar animais enquanto planeja como vai torturar a família após o nascimento de sua irmã.

Esther, de "A Órfã" (2009)

Enquanto outras garotas ficariam eternamente gratas ao ser adotadas por uma família, a pequena Esther (Isabelle Fuhrman) aproveita o fato para analisar seus novos parentes e eliminá-los. Para tanto, a menina alterna sorrisos inocentes com lapsos de raiva, utilizando até um martelo para matar aqueles que se opõem a ela.

Leia também: O limite da maldade infantil

Connor Rooney, de "Estrada para Perdição" (2002)

Filho do mafioso John Rooney (Paul Newman), Connor (Daniel Craig) consegue arruinar os negócios da família para sustentar seus vícios, eliminando sócios antigos de seu pai com uma série de mentiras. O ápice de suas maldades ocorre quando ele mata o filho e a mulher de seu "irmão adotivo", colocando nos ombros do pai um dilema doloroso.

Adrian, de "O Bebê de Rosemary" (1968)

Alguns podem achar injusta a participação de Adrian nesta lista, afinal, o bebê de Rosemary Woodhouse (Mia Farrow) não teve tempo de mostrar a que veio, pois o filme acaba pouco depois de seu nascimento. Porém, o fato de ele ter sido gerado por um culto satânico e possuir uma aparência demoníaca são motivos suficientes para sustentar sua inclusão.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG