Obras de Jorge Amado e Dias Gomes vão para o cinema

¿Quincas Berro d¿Água¿ e ¿O Bem Amado¿, promessas de boa bilheteria no cinema nacional, serão exibidos no XIV Cine PE

Valmir Moratelli, enviado especial a Olinda (PE) |

Entre os 16 longas e 47 curtas-metragens que serão exibidos, o XIV Cine PE - festival de cinema que acontece na cidade de Olinda, Pernambuco, entre 26 de abril e 2 de maio - promoverá o lançamento de dois dos mais aguardados filmes brasileiros deste ano. Além de “O Bem Amado”, há a expectativa em torno de “Quincas Berro d’Água”, de Sérgio Machado, ambos exibidos como parte da Mostra Especial. Mariana Ximenes, Paulo José, Marieta Severo e Vladimir Brichta, todos no elenco do longa, são aguardados na cidade pernambucana mais para o final da semana, quando o filme será exibido.

Protagonista de “O Bem Amado”, Marco Nanini já está em Recife, para o festival. O ator está hospedado no hotel Golden Tulip, na praia de Boa Viagem. O filme, baseado na novela de Dias Gomes, de 1973, abre o Festival, na noite desta segunda-feira. Promessa de boa bilheteria para o cinema nacional, o longa tem Nanini como o prefeito Odorico Paraguaçu e Matheus Nachtergaele como Dirceu Borboleta.
Diretor do longa, Guel Arraes também é esperado para a noite de abertura do Festival. Pernambucano, ele será homenageado juntamente com os diretores da Globo Filmes. “O Bem Amado” tem previsão de estreia para o dia 23 de julho nos cinemas brasileiros. Já o “Quincas Berro d’Água” será lançado em circuito nacional no dia 14 de maio.

Caio Blat e Maria Ribeiro, que juntos estrelam o filme “História de Amor Duram Apenas 90 Minutos”, também já chegaram à cidade. Vieram do Rio de Janeiro no voo pela manhã cedo. “Não se pode viver sem amor”, que tem no elenco Cauã Reymond, Ângelo Antônio e Simone Spoladore, programado para ser exibido no sábado (1), é outro título nacional que deve estrear nos cinemas em breve que será exibido pela primeira vez no Festival.

Na competição

Quatro ficções e dois documentários disputam prêmio na Mostra Competitiva de longas. “Leo e Bia”, dirigido por Oswaldo Montenegro, “As Melhores Coisas do Mundo”, de Laís Bondanzky, “Não se Pode Viver Sem Amor”, de Jorge Durán, e “O Homem Mau Dorme Bem”, de Geraldo Moraes, que já competiu no Festival de Brasília. Os documentários são: “Cinema de Guerrilha”, de Evaldo Mocarzel, e “Sequestro”, de Wolney Atalla, que é outro bastante aguardado.

    Leia tudo sobre: cinemafestivalolinda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG