Novo Karate Kid tem poucas diferenças do original

Refilmagem introduz algumas mudanças, mas segue a história do filme de 1984 à risca

Augusto Gomes, iG São Paulo |

Divulgação
Jaden Smith luta kung fu em Karate Kid
Onde estava o karatê, entra o kung fu. Ao invés dos subúrbios de Los Angeles, a China. E, no lugar de um jovem tímido de seus 18 anos, um menino prepotente de 12. As diferenças entre o primeiro Karate Kid , de 1984, e a refilmagem do mesmo nome, que estreia neste sexta no Brasil, parecem ser muitas. Mas só parecem, porque o esqueleto da história continua o mesmo: garoto constantemente agredido por seus colegas de escola conhece um velho excêntrico que o ensina a lutar e o convence a disputar um torneio.

Em sua estreia nos Estados Unidos, a refilmagem rendeu US$ 56 milhões (quase R$ 98 milhões). De lá para cá, a renda aumentou para US$ 175 milhões (mais de R$ 300 milhões), deixando o filme entre as dez maiores bilheterias do ano. O bom resultado deve garantir mais uma continuação, o sexto da série. Os três primeiros traziam Ralph Macchio no papel de Daniel San. Em 1994, houve uma frustrada tentativa de ressucitar a série com uma mulher como protagonista (a então desconhecida Hilary Swank, que depois ganharia Oscars por Meninos Não Choram e Menina de Ouro).

Neste quinto Karate Kid (que não leva o número cinco no nome, para deixar claro que pretende iniciar a série do zero, como Christopher Nolan fez em 2005 com seu Batman Begins ), o papel principal é de Jaden Smith, filho do ator Will Smith. Já o novo Senhor Miyagi (no original, Noriyuki Pat Morita) se chama Mr. Han, e é vivido pela lenda dos filmes de artes marciais Jackie Chan. O personagem, alma do primeiro Karate Kid , não mudou nada: um senhor aparentemente inofensivo, dado a frases de efeito, e enigmático em seus ensinamentos.

A crítica americana se dividiu quanto ao filme. Roger Ebert, um dos mais respeitados críticos do país, foi só elogios. "Não há muitas surpresas, já que ele segue o original de 1984 quase ponto por ponto. Mesmo assim, é um filme adorável e bem-feito, que se segura sozinho", escreveu. Veículos importantes como a Variety e a Entertainment Weekly publicaram resenhas positivas. Já o New York Post foi impiedoso: "um filme pipoca que pensa que é O Último Imperador " (drama dos anos 1980 também filmado na China).

[]Mesmo com algumas opiniões negativas, é inegável que Karate Kid é o maior sucesso entre as várias refilmagens de produções dos anos 80 lançadas este ano. Em primeiro lugar, pelo próprio resultado na bilheteria. Em segundo, porque, mesmo sendo pior que o original, não faz feio diante dele. Não é o que se pode dizer, por exemplo, das novas versões de A Hora do Pesadelo e Fúria de Titãs ou da continuação de Predador produzida por Robert Rodriguez.

Até o final do ano, mais refilmagens vão chegar às telas. A mais aguardada delas é a versão de Tron , com lançamento marcado para dezembro. Mas, se todos os boatos em Hollywood se confirmarem, em breve teremos novos Curtindo a Vida Adoidado e Dirty Dancing nos cinemas, além de uma quarta parte de Um Tira da Pesada . Uma década depois de tomar conta da música e da moda, a nostalgia dos anos 1980 parece que vai dominar o cinema.

    Leia tudo sobre: Karate Kid

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG