Muito além do capitão Nascimento...

Elenco de "Tropa de Elite 2" fala sobre os outros personagens do filme

Guss de Lucca, iG São Paulo |

Divulgação
O corrupto Fábio (Milhem Cortaz) e o "caveira" Matias (André Ramiro): personagens retornam na sequência
É impossível não associar o nome do capitão Nascimento ao filmes "Tropa de Elite 2", que estreia hoje em 636 cinemas de todo o país. Porém, não é apenas o personagem interpretado por Wagner Moura que carrega o filme nas costas - longe disso. Rostos já apresentados ao público no primeiro longa-metragem e personagens novos encorpam a trama da sequência, que mira em policiais e políticos corruptos.

"Quando falaram sobre o novo filme eu tinha certeza que não participaria. Aí encontrei o Wagner [Moura] no aeroporto e ele me disse que o Fábio ia voltar", explica rindo o ator Milhem Cortaz. "É surreal. Na primeira versão do roteiro ele era o chefe das milícias, mas alguma alma boa viu que seria uma mudança muito drástica."

No primeiro "Tropa de Elite" o policial corrupto Fábio é salvo pelos novatos Neto e Matias, papéis de Caio Junqueira e André Ramiro, e acaba tentando entrar para o BOPE - onde é humilhado pelo capitão Nascimento. Agora, mais de uma década depois, ele ressurge num posto de comando da corporação.

"A continuação do Fábio é super coerente. E eu gosto muito desse negócio dele parecer perdido na ação", completa Milhem, feliz por voltar a um papel cheio de novos jargões como "Cada cachorro que lamba a sua caceta" e "Tá de pombagirice?".

Outro personagem que retorna às telas é o capitão André Matias, interpretado por André Ramiro, que agora assume uma postura muito mais dura dentro do BOPE. "No primeiro filme existe aquele conflito entre o direito e a polícia. Agora não. Agora o Matias é caveira. Parece que baixou o Neto nele. Eu fiquei até assustado na projeção", revela o ator. "Aquele olhar, a maneira como fala... Não consegui ver o André Ramiro ali - o que é ótimo!"

Divulgação
Fraga (Irandhir Santos) e Fortunato (André Mattos): personagens antagônicos retratam a política nacional
Que entrem os políticos

Enquanto no primeiro longa-metragem o alvo era o tráfico de drogas, em "Tropa de Elite 2" a corrupção política está no centro da trama - e é nesse contexto que surgem dois personagens opostos: o defensor dos direitos humanos Fraga e o apresentador de TV Fortunado, interpretados pelos atores Irandhir Santos e André Mattos, respectivamente.

"O Fraga é o cara que tem a incumbência de dizer não a algo que foi estabelecido no primeiro 'Tropa de Elite' - que se resolve esse tipo de problema na repressão, com violência. É ele quem mostra que existem outros caminhos, não dando murros ou tiros, mas com diálogo, ouvindo as outras pessoas", explica Irandhir.

O ator revelou que uma motivação pessoal o incentivou a aceitar o papel e que se encontrou diversas vezes com o deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ), político que serviu de inspiração para seu personagem.

Já André Mattos disse não ter se inspirado em ninguém específico para o papel do verborrágico Fortunato. "É uma onda que começou com o Gil Gomes e seguiu com Ratinho, Datena... O povão gosta de ver esses caras que falam de violência com humor. Mas não assisto a nenhum desses programas, mesmo existindo mais de 50 desses caras pelo país", explica.

O próprio ator aponta a assimilação da violência no cotidiano das pessoas como uma das causas do sucesso desse tipo de programa. "Eu mesmo já tive uma arma apontada para a minha cabeça. A violência já está tão presente no nosso dia a dia que as pessoas precisam criar algo para chamar a atenção para ela, porque já banalizou."

Assista ao trailer de "Tropa de Elite 2":

    Leia tudo sobre: Tropa de Elite 2

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG