"Like Crazy" ganha prêmio principal em Sundance

Filme conta história de amor entre uma americana e um britânico

Reuters |

Getty Images
Diretor Drake Doremus (camisa rosa) recebe o prêmio principal de Sundance pelo filme "Like Crazy"
A história de amor "Like Crazy" e o documentário sobre suicídio assistido "How to Die in Oregon" ganharam os principais prêmios no Sundance Film Festival (Festival de Filmes de Sundance) no sábado, colocando os dois na lista de filmes independentes que precisam ser vistos em 2011.

"Like Crazy," dirigido por Drake Doremus, ficou com o prêmio do júri de Melhor Drama, com a sua história sobre uma mulher americana e um homem britânico que se apaixonam pela primeira vez, mas se afastam um do outro, para testar o relacionamento.

Ao aceitar o prêmio, Doremus disse que é "sobre o amor nunca morrer e estar com você pelo resto da sua vida." O filme também levou um prêmio especial para a sua atriz, Felicity Jones.

O documentário vencedor, "How to Die in Oregon," esteve entre os filmes mais falados no Sundance 2011, com a sua análise sobre suicídio assistido e sua filmagem de uma mulher, em estado terminal, que toma uma overdose e, literalmente, morre na frente da câmera.

Jurados especiais, profissionais da indústria do cinema, votam nos ganhadores e esses são considerados os principais ganhadores, mas o público também pode votar nos seus favoritos.

A Audience Award - prêmio do público - de Melhor Drama foi para "Circumstance," que conta a história de dois adolescentes iranianos que se apaixonam, mas não podem ficar juntos por causa de influências culturais.

"O elenco e a equipe técnica abriram mão de muita coisa para fazer esse filme, porque nós acreditamos na história, acreditamos nos direitos humanos e na expressão artística," disse a diretora de "Circumstance," Maryam Keshavarz, ao aceitar o seu troféu.

O prêmio do público de Melhor Documentário Norte-Americano foi para "Buck," uma história reveladora sobre o treinador de animais, Buck Brannaman, que serviu de inspiração para o filme "The Horse Whisperer" (O encantador de cavalos).

Outros prêmios foram para John Foy, diretor do documentário "Ressurect Dead: The Mystery of the Toynbee Tiles," e Sean Durkin pela direção do drama "Martha Marcy May Marlene."

SALAS DE ARTE

Sundance, que tem o apoio do Sundance Institute for Filmamking (Fundação de Apoio ao Cinema Independente) de Robert Redford, é o evento que reúne o maior número de filmes independentes dos EUA, e os vencedores do festival se tornam alguns dos filmes mais comentados nas salas de exibição de filmes de arte.

Além dos prêmios para filmes americanos, Sundance também dá prêmios para o cinema mundial. A co-produção dinamarquesa/norueguesa "Happy, Happy," sobre uma mulher que se envolve num caso extraconjugal, ganhou o prêmio do júri de melhor drama, e o filme de guerra do Afeganistão, "Hell and Back Again," foi o escolhido do júri como melhor documentário.

O prêmio do público de melhor drama do festival foi para o filme sobre o genocídio de Ruanda, "Kinyarwanda," e o de melhor documentário, foi para "Senna" sobre o piloto de Fórmula 1, Ayrton Senna.

    Leia tudo sobre: cinemasundancelike crazy

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG