Lars Von Trier diz que suas desculpas não foram verdadeiras

Cineasta dinamarquês foi banido de Cannes após declarações polêmicas sobre Hitler

iG São Paulo |

Quatro meses após ser banido do Festival de Cannes por causa de declarações polêmicas sobre Hitler, o cineasta dinamarquês Lars Von Trier disse que suas desculpas à época não foram verdadeiras.

"Não me sinto culpado pelo que disse, mas sim que a frase não tenha ficado clara", afirmou em entrevista à revista GQ. "Não me culpo por ter feito uma piada, mas sim por não ter deixado claro que era uma piada."

Siga o iG Cultura no Twitter

No dia 18 de maio, durante a entrevista coletiva de seu último filme , "Melancolia" , no Festival de Cannes, Von Trier lançou-se em um monólogo desconexo sobre sua ascendência judaica/alemã, antes de fazer as declarações que levaram a sua expulsão.

Ele disse em tom de brincadeira que era nazista, que simpatizava "um pouquinho" com Hitler, qualificou Israel de "pé no saco" e resmungou a frase "a solução final para os jornalistas". No mesmo dia o cineasta pediu desculpas sobre as declarações, mas acabou sendo banido do festival.

"Não acho que haja um jeito certo ou errado de dizer algo. Qualquer coisa pode ser dita, e isso é parte de mim", declarou o cineasta à GQ sobre o episódio. "Pedir desculpas pelo que disse é negar o tipo de pessoa que sou, meus valores morais", completou.

Em uma entrevista à Reuters , dias após ser banido de Cannes, Von Trier já havia manifestado seu desconforto com o assunto. "Não resolve nada. Acho que pedir desculpas não muda nada, é muito fácil e é totalmente sem conteúdo. Não, eu não peço desculpas, mas lamento se causei dor a algumas pessoas. Não foi essa minha intenção", disse.

    Leia tudo sobre: cannes 2011lars von triermelancolia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG