Justiça do Irã concorda em libertar cineasta

Diretor Jafar Panahi está há mais de uma semana em greve de fome numa prisão em Teerã

Reuters |

EFE
Juliette Binoche: protesto contra a prisão de Panahi em Cannes
O Judiciário iraniano concordou em libertar sob fiança o diretor de cinema Jafar Panahi, que está há mais de uma semana em greve de fome na prisão Evin, de Teerã, teria declarado uma autoridade iraniana nesta segunda-feira. Ganhador de muitos prêmios internacionais e partidário do líder oposicionista Mirhossein Mousavi na eleição presidencial contestada do ano passado, Panahi foi preso em março com sua mulher e filha, que foram soltas posteriormente.

Juliette Binoche, em seu discurso de aceitação do prêmio de melhor atriz no festival de cinema de Cannes, no domingo, criticou o Irã por encarcerar Panahi, dizendo que "a culpa dele é ser artista, é ser independente".

O promotor de Teerã Abbas Jafari Dolatabadi disse à agência de notícias ISNA que "no encontro que tivemos com ele na quinta-feira, analisamos seu pedido de ser libertado antes de uma audiência judicial, e foi decidido que ele será libertado após pagamento de fiança. O trabalho judicial e burocrático relativo a seu caso está em curso no momento". Não ficou claro quando Panahi deixará a prisão.

O cineasta tinha dito que não encerraria sua greve de fome enquanto não tivesse acesso a seu advogado, pudesse receber visitas de sua família e ser libertado incondicionalmente enquanto aguardava uma audiência em um tribunal. Seus familiares e seu advogado o visitaram na semana passada.

    Leia tudo sobre: Jafar PanahiJuliette Binoche

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG