Caçador de Recompensas " / Caçador de Recompensas " /

Jennifer Aniston finca pé na comédia e decepciona

Atriz repete o mesmo papel na aventura romântica Caçador de Recompensas

Marco Tomazzoni, iG São Paulo |

Jennifer Aniston não se cansa do mesmo papel. Única integrante da série Friends a emplacar uma carreira no cinema, desde 1996 a atriz filma em média dois longas-metragens por ano. Até agora são 22 no currículo e, desse total expressivo, apenas três não são comédias, romances ou comédias românticas. Caçador de Recompensas , que estreia nesta sexta-feira (16), não é diferente e lá vamos nós de novo.

Desta vez, Aniston contracena com Gerard Butler, que, depois de P.S. Eu Te Amo e A Verdade Nua e Crua , também parece ter achado seu lugar nesse nicho. A trama difere um pouco das anteriores por misturar a tal comédia romântica com ação, um recado claro para o público: apesar do aparente apelo açucarado às mulheres, Butler está lá de arma em punho para que os namorados possam ter sua parcela de diversão e testosterona. Além, é claro, do casal protagonista, de encher os olhos de ambos os sexos.

Divulgação
Jennifer Aniston: mais do mesmo
Nicole Hurley (Aniston) é a aplicada repórter de um jornal de Nova York, que sempre coloca o trabalho antes da vida pessoal. Por causa de uma matéria, ela perde a audiência na qual era acusada de provocar um acidente de trânsito e, veja só, vê sua fiança revogada e recebe ordem de prisão (!). Como se não bastasse, a justiça estabelece uma recompensa de US$ 50 mil dólares (!!!) para quem a leve a uma delegacia. E aí entra Milo Boyd (Butler), ex-marido de Nicole, que, expulso da polícia, ganha a vida como "caçador de recompensas", correndo atrás de pessoas que driblaram sua fiança ou condicional. A situação, ele imagina, é perfeita para ganhar uma grana fácil.

Nem tudo dá certo, é claro, e só serve de pretexto para o casal se reaproximar e jogar um na cara do outro as mágoas da relação fracassada. Tudo bem formulaico e manjado, com os dois astros no piloto automático, brincando de gato e rato e exibindo seus dotes de humor pastelão: bate aqui, cai ali, e por aí vai. O mesmo serve para a subtrama policial. Nicole está investigando um suspeito caso de suicídio e de repente se vê perseguida por traficantes que têm ligações com a polícia. Também já se viu isso antes, tanto que o vilão é interpretado por Peter Greene, um veterano do gênero.

O jogo entre homem e mulher que se odeiam, com todas suas variantes, já rendeu tanto que é difícil imaginar por que alguém ainda se interessaria em insistir nesse fiapo de história. Ou melhor, até dá, já que a tentação de escalar um casal quente - aos 41 anos, Aniston continua deslumbrante - em um vai-não-vai deve ser grande. A roteirista Sarah Thorp ( A Marca ) e o diretor Andy Tennant ( Hitch, Conselheiro Amoroso ) só podiam ter pensado em algo com menos frases-feitas e mais verossimilhança. Isso que nem se está falando de inteligência. Para se divertir pouco, rir menos e se irritar bastante.

O único ar fresco nessa terra arrasada é a atriz Christine Baranski, no papel da mãe da repórter. As falas do personagem não ajudam muito, mas ela rouba a cena em todas suas participações. Poderia servir de escola para Aniston, que, embora tenha outras duas comédias românticas previstas para 2010 e 2011, vai se aventurar pela primeira vez em um musical, The Goree Girls , no qual também estreia como produtora. Talvez seja a chance de mostrar que nem tudo está perdido.

Assista ao trailer de Caçador de Recompensas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG