Infidelidade é tema de "O Preço da Traição"

Suspense de Atom Egoyan aborda angústias de um casamento duradouro

Guss de Lucca, iG São Paulo |

O sucesso profissional e consequentemente financeiro nem sempre é suficiente para garantir um casamento feliz. Ao menos é essa a realidade que a ginecologista Catherine (Julianne Moore) precisa encarar em "O Preço da Traição", mais recente filme do cineasta Atom Egoyan, autor de "O Doce Amanhã" e "Verdade Nua".

Divulgação
Julianne Moore interpreta uma médica que questiona a fidelidade do marido em "O Preço da Traição"
Cada vez mais distante do marido, o professor de música David (Liam Neeson), com quem é casada há duas décadas, a médica sente dificuldade em lidar com a própria idade ao perceber que ele prefere interagir com a vida de seus estudantes do que com a própria, postergando a volta para casa em troca de algumas horas no bar ao lado de pessoas bem mais jovens.

Enquanto assiste ao distanciamento do marido e do filho, que aos 17 anos parece ignorar a existência da mãe, Catherine se deixa levar por suspeitas de infidelidade e, em um momento de desespero, contrata a garota de programa Chloe (Amanda Seyfried) para seduzí-lo e assim descobrir se está sendo traída.

Ao acrescentar um elemento estranho nessa relação, a médica precisará lidar com uma série de ações e relatos que só aumentam suas suspeitas e a deixam mais obcecada pelo possível envolvimento de David com a jovem prostituta, que parece ter interesses próprios nesse curioso triângulo amoroso.

"O Preço da Traição" é muito mais um filme adulto pelo tema abordado do que por suas cenas eróticas que, filmadas com beleza ímpar - e nisso Julianne Moore só ajuda -, deveriam ser assistidas por adolescentes que acessam conteúdos impróprios na internet para quem sabe purificá-los com o que há de melhor nesse gênero cinematográfico.

null

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG