"Humanos se desumanizam cada vez mais", afirma Romero em Veneza

Diretor falou à imprensa após apresentar "Survival of the Dead" na competição

Mariane Morisawa, enviada especial a Veneza |

AFP
George A. Romero no Festival de Veneza
Mais de 40 anos após o lançamento do clássico "A Noite dos Mortos Vivos", George A. Romero ainda acredita no poder dos zumbis para comentar a sociedade e a política de hoje. É isso o que ficou claro na coletiva de imprensa de "Survival of the Dead" , na manhã desta quarta-feira (09) em Veneza, onde o filme compete pelo Leão de Ouro.

"Não pensei em nenhum conflito específico. Podia ser a Irlanda do Norte ou o Oriente Médio. Queria falar da discriminação racial, da discriminação religiosa. E também da inabilidade do homem de esquecer inimizades", afirmou o cineasta de 69 anos.

Ele disse que sempre gostou dos zumbis. "No filme, eles parecem ir evoluindo pouco a pouco, enquanto os humanos vão regredindo. Sempre fui simpático aos zumbis, acho que os humanos se desumanizam cada vez mais. Os zumbis são inocentes", afirmou.

Para o diretor, os videogames, mais que os filmes, ajudaram a manter vivos os zumbis. Ele também comentou sobre o visual antiguinho dos seus mortos-vivos, que continuam com sérias dificuldades motoras. "Sempre os tratei do mesmo jeito. Quem os fez correr? Zack Snyder, talvez?", perguntou, referindo-se ao diretor de "300" e "Watchmen", provocando risos.

"Tem gente que acha que eles são mais assustadores por se moverem rápido. Eu acho que eles são mais assustadores se você os vê vindo, vindo, vindo. Talvez seja porque tenha crescido com os filmes de múmia", arriscou.

    Leia tudo sobre: festival de venezageorge a. romerozumbis

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG