Governo local não quis atender às exigências de proprietário da antiga casa do astro das artes marciais

Estátua de Bruce Lee erguida em Hong Kong
AFP
Estátua de Bruce Lee erguida em Hong Kong
O governo de Hong Kong abandonou o projeto de criação de um museu em memória da lenda das artes marciais, Bruce Lee, como consequência de divergências com o proprietário da casa do ator, informaram as autoridades neste domingo.

"Apesar de nossos esforços, não conseguimos chegar a um consenso com o proprietário imobiliário" sobre o conteúdo do projeto, explicou a agência de Comércio e Desenvolvimento Econômico de Hong Kong.

Segundo o jornal South China Morning Post, o proprietário da casa, Yu Paglin, impôs como condição para doá-la a criação de um cinema, de uma biblioteca e de um centro esportivo especializado em artes marciais.

As autoridades de Hong Kong queriam se limitar a fazer um museu que contasse a vida do ator e apresentasse a sua contribuição para o cinema e para o kung-fu.

Os fãs de Bruce Lee, morto em 1973 aos 32 anos, pedem há anos a criação de um museu em Hong Kong, lugar onde viveu o famoso ator, que nasceu nos Estados Unidos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.