Globo de Ouro não serve como prévia do Oscar

Premiação da imprensa estrangeira de Hollywood acontece na noite de domingo

Marco Tomazzoni, iG São Paulo |

Divulgação
Colin Firth em "O Discurso do Rei": filme tem sete indicações ao Globo de Ouro
Marcada para a noite deste domingo (16), a entrega do Globo de Ouro vai ao ar, como sempre, com a promessa de ser um termômetro para o Oscar, cujos indicados saem só no dia 25. Mas não é de hoje que o prêmio organizado pela Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA) perdeu a relevância e a credibilidade. Atualmente, a cerimônia luxuosa e descontraída no hotel Beverly Hilton serve mais para as celebridades desfilarem pelo tapete vermelho, numa prévia dos figurinos finais para o Oscar, e depois aproveitarem as festas dos estúdios e emissoras de TV.

Criado em 1944, o Globo de Ouro passou a integrar com força a agenda dos estúdios para a temporada de prêmios a partir da década de 1990. As campanhas intensas de marketing e a cobertura da mídia transformaram a estatueta, até então pouco relevante, num item valioso para promover os filmes nos cinemas e no mercado doméstico, sem contar a transmissão da cerimônia, agora importante no mundo publicitário – exibida em mais de 150 países, ela só perde em espectadores para o Oscar e o Grammy.

Faz tempo, no entanto, que o Globo de Ouro não serve como paralelo para os vencedores do Oscar. É verdade que os indicados boa parte das vezes são os mesmos, mas nem isso funciona mais como parâmetro. Uma prova disso é que nos últimos cinco anos, em quatro o ganhador do Globo não triunfou no Oscar. "Crash - No Limite", que levou o Oscar de melhor filme em 2006, sequer apareceu entre os indicados. "Bravura Indômita" é exemplo de 2011: apesar de sair de mãos abanando do Globo de Ouro, sem concorrer em nenhuma categoria, o faroeste dos irmãos Coen tem tudo para estar na linha de frente do Oscar.

Isso porque os prêmios dos sindicatos de classe , um termômetro muito melhor, não esqueceram de "Bravura" e são escolhidos pelas mesmas pessoas que votam no Oscar: produtores, atores, diretores e roteiristas, entre outros profissionais de Hollywood. Já a Associação da Imprensa Estrangeira é formada por jornalistas que escrevem sobre a indústria do cinema, em número bem menor – 85 sócios, contra os mais de 6 mil da Academia.

Sem falar na disparidade de seus integrantes. A HPCA têm cadastrados repórteres de meios de comunicação de 55 países, que precisam eleger os premiados em meio a gostos, nacionalidades e idades diferentes. O fosso geracional é um entrave importante, já que os poucos jovens se vêem perdidos em meio a jornalistas com seus 80 anos. Difícil saber com certeza o que vai sair de cédulas de votação tão diferentes.

O que tem chamado a atenção nos últimos anos, porém, é a presença entre os indicados de filmes de qualidade duvidosa, execrados pela crítica e ausentes de outras premiações. É o caso, por exemplo, de "O Turista" e "Burlesque" , duas decepções nas bilheterias norte-americanas, e "Alice no País das Maravilhas" , que faturou alto com as cópias 3D, mas é, sem dúvida, um trabalho menor do diretor Tim Burton.

No ano passado, um grupo de sócios da HPFA ganhou uma viagem com tudo pago, repleta de regalias, para assistir a um show de Cher em Las Vegas. Será coincidência, portanto, que "Burlesque", o musical estrelado por ela e Christina Aguilera, tenha conseguido uma indicação a melhor filme e duas a melhor canção?

Não seria a primeira vez que agrados aos sócios da Associação da Imprensa Estrangeira teriam influenciado a premiação. Ao longo da trajetória do Globo de Ouro, vez que outra relatos como esse vêm à tona. O maior flagrante aconteceu em 1981, quando a atriz Pia Zandora ganhou o extinto prêmio de melhor estreante pelo filme "Butterfly", indicado a oito Framboesas de Ouro. Zandora era casada com um milionário israelense, que pagou almoços e levou os jornalistas para seus cassinos. A vitória era tão disparatada que o caso virou manchete. Em 2000, como lembrou o colunista Ricardo Calil , o agente de Sharon Stone presenteou os sócios com relógios de ouro, que o recompensaram indicando a atriz ao Globo de Ouro por "A Musa".

Se é tão pouco confiável, por que, então, as pessoas continuam indo e o público assistindo à premiação? Bem, os atores aproveitam para divulgar seus trabalhos e frequentar as festas antes e depois do Globo de Ouro – este ano, são seis só no hotel Beverly Hilton, no circuito mais quente de Hollywood. Além disso, a cerimônia acontece em meio a um jantar farto, descontraído e regado a muito champagne. Não estranhe, portanto, se seu ator favorito for flagrado dando entrevistas bêbado, como Julia Roberts no ano passado ( veja aqui ).

Já os telespectadores querem mais é ver o desfile de astros e estrelas na TV. Em 2011, não vai ser diferente. Matt Damon vai entregar o troféu Cecil B. de Mille de conjunto da obra a Robert de Niro. O humorista inglês Ricky Gervais se encarregará do comando da cerimônia e os prêmios serão entregues por gente como Robert Pattinson, Justin Bieber, Tom Hanks, Megan Fox, Robert Downey Jr, Michelle Pfeiffer e Scarlett Johansson, entre muitos, muitos outros.

"O Discurso do Rei" é o líder de indicações, concorrendo a sete categorias, com Colin Firth cotado para o prêmio de melhor ator. Na sequência, vem "A Rede Social", de David Fincher, e "O Vencedor", de David O. Russell, ambos com seis indicações. A festa será transmitida no Brasil pelo canal a cabo TNT, a partir das 23h de domingo. Veja abaixo a lista completa de indicados.

Melhor filme - drama
"Cisne Negro"
"O Vencedor"
"A Origem"
"O Discurso do Rei"
"A Rede Social"

Melhor filme - comédia ou musical
"Alice no País das Maravilhas"
"Burlesque"
"Minhas Mães e Meu Pai"
"RED - Aposentados e Perigosos"
"O Turista"

Melhor animação
"Meu Malvado Favorito"
"Como Treinar Seu Dragão"
"Enrolados"
"Toy Story 3"
"O Mágico"

Melhor diretor
Darren Aronofsky, por "Cisne Negro"
David Fincher, "A Rede Social"
Tom Hooper, por "O Discurso do Rei"
Christopher Nolan, "A Origem"
David O. Russel, "O Vencedor"

Melhor roteiro
"127 Horas"
"Minhas Mães e Meu Pai"
"A Origem"
"O Discurso do Rei"
"A Rede Social"

Melhor ator - drama
Jesse Eisenberg, "A Rede Social"
Colin Firth, "O Discurso do Rei"
James Franco, "127 Horas"
Ryan Gosling, "Blue Valentine"
Mark Wahlberg, "O Vencedor"

Melhor ator - comédia ou musical
Johnny Depp, "Alice no País das Maravilhas"
Johnny Depp, "O Turista"
Paul Giamatti, "Minha Versão para o Amor"
Jake Gyllenhaal, "Amor e Outras Drogas"
Kevin Spacey, "Casino Jack"

Melhor atriz - drama
Halle Berry, "Frankie & Alice"
Nicole Kidman, "Reencontrando a Felicidade"
Jennifer Lawrence, "Inverno da Alma"
Natalie Portman, "Cisne Negro"
Michelle Williams, "Blue Valentine"

Melhor atriz - comédia ou musical
Annette Bening, "Minhas Mães e Meu Pai"
Anne Hathaway, "Amor e Outras Drogas"
Angelina Jolie, "O Turista"
Julianne Moore, "Minhas Mães e Meu Pai"
Emma Stone, "A Mentira"

Melhor ator coadjuvante
Christan Bale, "O Vencedor"
Michael Douglas, "Wall Street - O Dinheiro Nunca Dorme"
Andrew Garfield, "A Rede Social"
Jeremy Renner, "Atração Perigosa"
Geoffrey Rush, "O Discurso do Rei"

Melhor atriz coadjuvante
Amy Adams, "O Vencedor"
Helena Bohan Carter, "O Discurso do Rei"
Mila Kunis", "Cisne Negro"
Melissa Leo, "O Vencedor"
Jacki Weaver, "Animal Kingdown"

Melhor filme estrangeiro
"Biutiful" , México
"O Concerto" , França
"The Edge", Rússia
"I Am Love", Itália
"In a Better World", Dinamarca

Melhor canção original
"Burlesque" , por "Bound To you"
"Burlesque" , por "You Haven't Seen the Last of Me"
"Country Strong", por "Coming Home"
"Enrolados" , por "I See the Light"
"As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada" , por "There's a Place for Us"

Melhor trilha sonora
"O Discurso do Rei"
"Alice no País das Maravilhas"
"127 Horas"
"A Rede Social"
"A Origem"

Melhor série de televisão - drama
"Boardwalk Empire"
"Dexter"
"The Good Wife"
"Mad Men"
"The Walking Dead"

Melhor série de televisão - comédia ou musical
"30 Rock"
"The Bing Bang Theory"
"The Big C"
"Glee"
"Modern Family"
"Nurse Jackie"

Melhor minissérie ou filme feito para a televisão
"Carlos"
"The Pacific"
"Pillars of Earth"
"Temple Grandin"
"You Don't Know Jack"

Melhor ator em minissérie ou filme feito para TV
Idris Elba, "Luther"
Ian McShane, "Pillars of Earth"
Al Pacino, "You Don't Know Jack"
Dennis Quais, "The Special Relationship"
Edgar Ramirez, "Carlos"

Melhor atriz em minissérie ou filme feito para TV
Hayley Atwell, "Pillars of Earth"
Claire Danes, "Temple of Gradin"
Judi Dench, "Return to Cranford"
Romola Garai, "Emma"
Jennifer Love Hewitt, "The Client List"

Melhor ator em série - comédia ou musical
Alec Baldwin, "30 Rock"
Steve Carrell, "The Office"
Thomas Jane, "Hung"
Matthew Morrsion, "Glee"
Jim Parsons, "The Bing Bang Theory"

Melhor atriz em série - comédia ou musical
Toni Collette, "United States of Tara"
Edie Falco, "Nurse Jackie"
Tina Fey, "30 Rock"
Laura Linney, "The Big C"
Lea Michele, "Glee"

Melhor ator em série - drama
Steve Buscemi, "Boardwalk Empire"
Bryan Cranston, "Breaking Bad"
Michael C. Hall, "Dexter"
Jon Hamm, "Mad Men"
Hugh Laurie, "House"

Melhor atriz em série - drama
Julianna Margulies, "The Good Wife"
Elizabeth Moss, "Mad Men"
Piper Perabo, "Covert Affairs"
Katey Segal, "Sons of Anarchy"
Kyra Sedgwick, "The Closer"

Melhor ator coadjuvante em série, minissérie ou filme para TV
Scott Caan, "Hawaii Five-O"
Chris Colfer, "Glee"
Chris Noth, "The Good Wife"
Eric Stonestreet, "Modern Family"
David Strathairn, "Temple Gradin"

Melhor atriz coadjuvante em série, minissérie ou filme para TV
Hope Davis, "The Special Relationship"
Jane Lynch, "Glee"
Kelly MacDonald, "Boardwalk Empire"
Julia Stiles, "Dexter"
Sofia Vergara, "Modern Family"

    Leia tudo sobre: globo de ourooscar 2011hollywood

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG