A Estrada mostra visão pessimista da humanidade em Veneza - Cinema - iG" /

Forte, A Estrada mostra visão pessimista da humanidade em Veneza

VENEZA ¿ O mundo de hoje é fichinha perto do que enfrentam um homem (Viggo Mortensen) e seu filho (Kodi Smit-McPhee) numa Terra devastada, apocalíptica, em que não sobrou nenhum animal e as pessoas sobreviventes vagam atrás de comida ¿ nem que ela seja carne humana. Assim é o universo do longa-metragem ¿A Estrada¿ (¿The Road¿), de John Hillcoat, baseado no romance de Cormac McCarthy, exibido na noite desta quarta-feira (02) no Festival de Veneza. Difícil saber a reação da plateia de jornalistas, que simplesmente não se manifestou.

Mariane Morisawa, enviada especial a Veneza |

Divulgação

Envelhecido, Viggo Mortensen vaga pelo mundo ao lado do filho em "The Road" 

Pequenos e ensolarados pedaços do passado infiltram-se neste presente sombrio, cinza, cheio de fumaça e nevoeiro, com árvores secas, terremotos constantes, incêndios violentos. O homem era feliz, casado com uma bela mulher (Charlize Theron). Quando a tragédia acontece ¿ nunca totalmente esclarecida ¿, ela está grávida. Ainda assim, passam alguns anos na mesma casa, tentando sobreviver, enquanto lá fora as histórias de desgraças e crueldades aumentam.

Nos dias de hoje, pai e filho caminham sem ela em direção ao sul, um éden sonhado. Os perigos que vão enfrentar são grandes. A estrada é percorrida por humanos que decidiram sobreviver à custa de outros humanos ¿ como em toda a história da humanidade. Aqui, literalmente, alimentando-se deles. O dinheiro perdeu a validade, e uma lata de Coca-cola é algo desconhecido pelo garoto, assim como o Natal. O laço que os une, no entanto, é enorme. O menino representa a pureza, é um Deus, como seu pai o descreve. Neste mundo tão cruel que foi o único que jamais conheceu, mantém a bondade e questiona seu pai o tempo todo: nós somos os mocinhos?

Um Viggo Mortensen esquálido e envelhecido passa a dor, o desespero e a esperança por meio de pequenos gestos. O menino australiano Kodi Smit-McPhee, com sua cara de anjo, se sai muito bem em seu papel ¬¿ ele está cotado para fazer o remake de Deixa Ela Entrar, filme sueco sobre vampiros que vai ser rodado nos Estados Unidos por Matt Reeves, de Cloverfield.

Divulgação

Filme é baseado no romance de Cormac McCarthy, de "Onde os Velhos Não Têm Vez"

A Estrada é bem difícil de ver, com cenas violentas como normalmente os livros de Cormac McCarthy, autor de Onde os Velhos Não Têm Vez, não têm medo de mostrar. Mas aqui, ao contrário de Onde os Fracos Não Têm Vez, filme dos irmãos Coen, que tinha sua dose de humor negro, o refresco é zero. Hillcoat, diretor de videoclipes de Nick Cave e Depeche Mode e do longa-metragem The Proposition, foi bem corajoso. É uma visão pessimista da humanidade ¿ e faz pensar se não é algo assim que o futuro nos reserva. 

Segundo dia

Nesta quinta-feira (03), segundo dia do Festival de Veneza, as atrações da competição são Life During Wartime, de Todd Solondz (o igualmente pessimista diretor de Felicidade), Lei wangzi (Príncipe das lágrimas), do chinês Yonfan, e o austríaco Lourdes, de Jessica Hausner.

Leia as últimas notícias do Festival de Veneza

    Leia tudo sobre: festival de veneza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG