Com poucos deslizes, Todo Poderoso reúne depoimentos e imagens emocionantes da história do time

Basílio, autor do gol que encerrou jejum de 23 anos
Divulgação
Basílio, autor do gol que encerrou jejum de 23 anos
“Um cara pode mudar tudo: de rosto, de casa, de família, de namorada, de religião, de Deus... Mas há uma coisa que não pode mudar. Não pode mudar de paixão”. A frase-chave do personagem Pablo Sandoval no argentino O Segredo dos Seus Olhos , vencedor neste ano do Oscar de melhor filme estrangeiro, serve perfeitamente para definir o mote de Todo Poderoso - O Filme, 100 anos de Timão , que chega nesta sexta-feira aos cinemas de São Paulo. A obra cumpre bem o papel de mostrar às gerações mais novas que paixão e sofrimento estão no DNA corintiano desde a sua fundação, no Bom Retiro, por cinco operários.

É um filme feito por apaixonados para apaixonados. Mas nem por isso os diretores Ricardo Aidar e André Garolli deixam de cumprir sua principal missão: contar a história do time de futebol que tem a segunda maior torcida do país de maneira clara, com fatos e depoimentos de pessoas que fizeram parte desta trajetória. Além dos principais ídolos, torcedores-símbolo também têm seu espaço, muitas vezes colocando boas pitadas de humor, como a folclórica Tia Dirce.

Risadas se misturam a lágrimas em entrevistas que respeitam a cronologia dos fatos. A narração linear do ator Dan Stulbach, corintiano, se intercala com depoimentos de jornalistas, como do entrevistador e corroteirista Celso Dario Unzelte (especialista na história corintiana, que ficou na frente e atrás das câmeras), e ídolos. Enquanto isso, gols e imagens marcantes são exibidos para deleite da torcida, ops, do público. Até Pelé e Ademir da Guia – estrelas rivais, obviamente – aparecem para atestar que a paixão do corintiano é diferente.

Registros raros, como o do time em campo em 1929, são um molho especial para o prato principal. Sócrates, Zé Maria, Casagrande, Wladimir, Biro-Biro, Palhinha, Basílio, Neto, Marcelinho, Ronaldo (o goleiro)... Dos ídolos vivos, estão quase todos lá, com exceção de Roberto Rivellino, que, embora não tenha nenhum título pelo clube, é um dos maiores expoentes de sua história e merecia um depoimento no documentário. Ronaldo, o Fenômeno, também poderia ter aparecido para falar um pouco.

Nas próximas semanas, filme já estará em DVD
Divulgação
Nas próximas semanas, filme já estará em DVD
Outro pequeno deslize é passar quase que batido pelo ex-presidente Vicente Matheus (morto em 1997, aos 88 anos), mandatário máximo corintiano nos títulos históricos de 1977 - o fim do jejum de 23 anos - e de 1990, primeiro Campeonato Brasileiro vencido pelo clube. Uma figura lendária por suas confusões com a língua portuguesa (ele era espanhol) e por ter colocado dinheiro do próprio bolso no clube. Se falta algo de um lado, sobra do outro: o lateral Roberto Carlos, com apenas seis meses de clube, ainda não escreveu seu nome na calçada da fama do Parque São Jorge para ter direito de estar no filme sobre o centenário da equipe alvinegra. Desnecessário.

Todo Poderoso - O Filme é a terceira, e a melhor, obra cinematográfica sobre o Corinthians lançada nos últimos 15 meses. Está anos-luz à frente de Fiel , o primeiro, registro da queda à Série B e o retorno à elite do Brasileiro de maneira enfadonha e quase sem emoção, e tem mais qualidade de edição e roteiro que 23 Anos em 7 Segundos , que narra de maneira emocionante o fim do jejum de títulos em 1977, mas peca por depoimentos repetitivos e uma perda de ritmo que provavelmente poderia ter sido evitada na montagem.

Todo Poderoso se destaca ainda mais pelo fato de ser o mais difícil de ser feito, editado e montado, justamente por conta da escolha de condensar 100 anos de história em 100 minutos. Prova disso é a quantidade de extras do DVD, que será lançado em 1º de setembro, dia do centésimo aniversário corintiano: 120 minutos de material inédito, inclusive com entrevistas que não entraram no corte final. O preço previsto é R$ 29,90, valor que não deve afastar os corintianos, que são conhecidos por não pouparem dinheiro para comprar camisas e ingressos bem mais caros. Afinal, como o filme conta, por uma paixão como esta, eles fazem loucuras.

Assista ao trailer do filme:

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.