Filme de Mel Gibson sobre herói judeu gera duras críticas

Produtora do ator, conhecido por polêmicas declarações antissemitas, vai fazer longa-metragem sobre Judas Macabeu

iG São Paulo com Reuters |

Getty Images
Mel Gibson: alvo de ira religiosa
Um filme sobre um herói judeu produzido por Mel Gibson – ator cuja carreira ficou marcada por insultos antissemitas em 2006 – atraiu duras críticas de líderes da comunidade judaica, que viram o projeto como um tapa na cara.

A Icon Productions, de Gibson, está produzindo o filme sobre Judas Macabeu em colaboração com o estúdio Warner Bros. Não está descartado que o próprio Gibson dirija o filme. Judas Macabeu foi um guerreiro judeu cuja figura está associada à celebração do Hanukah.

"Como herói do povo judaico e um herói universal na luta pela liberdade religiosa, Judas Macabeu merece mais", disse em nota Abraham Foxman, diretor nacional nos EUA da Liga Antidifamação.

O rabino Marvin Hier, do Centro Simon Wiesenthal de Los Angeles, disse que o envolvimento de Gibson no projeto é "simplesmente um insulto aos judeus".

A Warner disse que o filme ainda está em pré-produção, que o roteiro, a cargo de Joe Eszterhas ("Showgirls"), nem foi concluído e que não há nenhuma decisão tomada sobre que ator irá protagonizá-lo. O estúdio não quis comentar a polêmica, e um representante de Gibson limitou-se a confirmar a participação dele.

Judas Macabeu foi o filho de um sacerdote judeu que, no século 2 a.C., comandou uma guerrilha na Judeia contra os exércitos do Império Salêucida. Esse personagem histórico, cujo sobrenome em hebraico significa literalmente "O Martelo", é reverenciado por muitos judeus. O Hanukah comemora os seus triunfos.

No passado, a Liga Antidifamação também acusou Gibson de evocar antigos estereótipos contra os judeus no seu filme "A Paixão de Cristo" (2004), que faturou mais de US$ 600 milhões nas bilheterias mundiais e foi elogiado por muitos cristãos.

Em 2006, ao ser preso por dirigir embriagado em Malibu, ele ofendeu o policial ao dizer frases como: "Os judeus são responsáveis por todas as guerras no mundo". Além disso, Hutton Gibson, pai do ator e líder de uma seita evangélica, chegou a pôr em dúvida o Holocausto em mais de uma declaração.

A prisão e esses insultos viraram notícia no mundo todo. Ele depois pediu desculpas publicamente e se submeteu a reuniões de autoajuda.

    Leia tudo sobre: mel gibsonwarner brosjudaísmojudeuantissemita

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG