A Festa Literária de Paraty serviu de palco neste sábado para a artista plástica francesa Sophie Calle e o jornalista e escritor francês Grégoire Bouillier debaterem, pela primeira vez em público, o fim do relacionamento entre os dois, que em 2007 foi o tema de uma obra de Calle que representou a França na Bienal de Arte Contemporânea de Veneza.

Conhecida por escancarar sua vida pessoal em seus trabalhos, a artista plástica francesa é conhecida por ter seguido um desconhecido de Veneza a Paris e por ter passado uma noite em uma cama no alto da Torre Eiffel. Em "Prenez soin de vous" (Cuide-se em português), ela transformou a dolorosa sensação de ser rejeitada pelo homem que amava em uma de suas principais obras. A artista expôs a reação de 104 mulheres, de duas bonecas e de um papagaio a uma mensagem de e-mail de Bouillier pondo fim a seu relacionamento.

Bouillier é mais conhecido pelos livros "Rapport sur moi" (2002) e por "L'invité mystère" (O convidado misterioso, 2004), em que narra o desconforto de ter sido convidado para o aniversário de Calle como um desconhecido misterioso após o término do relacionamento.

O debate logo tornou-se um verdadeiro ajuste de contas entre ambos, empolgando a platéia que lotava a Tenda dos Autores, onde foi realizada a mesa.

"É ao mesmo tempo trágico e divertido estar aqui", disse Bouillier. "Paraty me atraía porque queria mostrar que não fui eu que cometi todos os erros", explicou nais tarde.

"Um escritor não pode delegar um sentimento a 107 pessoas. Ele tem que mergulhar em seu sofrimento. Nunca imaginei que ela fosse usar esse e-mail com esse propósito", disse, considerando o trabalho de Calle uma "humilhação" para ele.

"Tornei a mensagem um projeto para que ela não me fizesse mais chorar. E me empolguei. O projeto me interessou mais do que a história de amor", afirmou ela.

No ponto culminante do debate, um espectador perguntou por que Bouillier tratou Calle de maneira formal em sua última frase do e-mail: "Prenez soin de vous", utilizando o pronome pessoal vós em vez de tu.

"Todas as mulheres que amo, eu chamo de vós", disse. Calle não hesitou em rebater: "E todos os homens com quem durmo, eu chamo de vós", recebendo aplausos da multidão.

Mas o tom foi de reconciliação ao final do debate, ovacionado em diversas ocasiões.

"Gostei da postura de Grégoire quando aceitou 'Prenez sois de vous'. Queria voltar a ser sua amiga", disse Calle.

"Acho que as coisas estão se saindo muito bem", respondeu Bouillier.

afp/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.