"Falsos casos reais" recheiam roteiros de filmes

História de 'Apollo 18', que estreia nos cinemas, nunca aconteceu de verdade; veja outros casos

Guss de Lucca, iG São Paulo |

Dá para confiar no cinema? Nem sempre. Alguns filmes alegam ter base em fatos reais. Mas, na verdade, esses "fatos reais" nunca existiram.

Divulgação
Cena do falso documentário "Apollo 18": campanha de marketing afirma que gravações são reais
O novo representante desse tipo de produção é "Apollo 18" , que estreia nos cinemas brasileiros nesta sexta-feira (2 de setembro). Nele, gravações em estilo documental revelam o que teria acontecido durante a tal operação da Nasa. Porém, a última missão tripulada do Projeto Apollo à Lua foi a Apollo 17, realizada em 1972.

Leia aqui: O verdadeiro Programa Apollo

Um dos primeiros filmes alardeados como baseado em fatos reais foi o terror independente "O Massacre da Serra Elétrica", de 1974. Sua história acompanha um grupo de amigos que, ao viajar para o interior do Estado do Texas, nos EUA, é atacado por uma família de canibais.

Apesar de a produção alegar a veracidade da trama, o roteiro escrito por Kim Henkel e Tobe Hooper é inteiramente ficcional, com poucos detalhes inspirados por assassinos em série reais, como Ed Gein e Henry Lee Lucas.

Siga o iG Cultura no Twitter

Diferentemente de "O Massacre", cujas filmagens seguiram o padrão tradicional, o fenômeno "A Bruxa de Blair", de 1999, optou pelo estilo documental para enganar as plateias pelo mundo. Em sua história, que conta o desaparecimento de três estudantes de cinema em busca de uma bruxa, são os próprios atores que registram a ação com a "câmera na mão".

O longa, que de acordo com um de seus diretores, Eduardo Sánchez, custou apenas US$ 25 mil (R$ 40 mil), arrecadou mais de US$ 240 milhões (R$ 384 milhões) em bilheteria, tornando-se o filme independente de maior sucesso de todos os tempos.

O mesmo repetiu-se em 2007, quando estreou nos cinemas o terror "Atividade Paranormal". Nele, o público acompanha a história de um casal que registra suas noites de sono com uma câmera, com a intenção de descobrir a origem dos fenômenos que ocorrem em sua casa. O longa arrecadou US$ 190 milhões (R$ 304 milhões) - custou US$ 15 mil (R$ 24 mil).

Agora, com a história dos astronautas em uma missão permeada por eventos bizarros, "Apollo 18" recupera o mais mentiroso gênero cinematográfico: o "falso caso real".

    Leia tudo sobre: apollo 18cinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG