Elizabeth Taylor será enterrada em cemitério famoso

Restrito, local é o mesmo onde está corpo de Michael Jackson; conheça história

iG São Paulo com AP |

Reuters
Fãs encheram a estrela de Elizabeth Taylor na Calçada da Fama de flores e homenagens
Vítima de complicações cardíacas na manhã de ontem , aos 79 anos, Elizabeth Taylor será enterrada nesta quinta-feira (24) nos arredores de Los Angeles. Segundo o programa norte-americano Entertainment Tonight, o funeral será realizado às 18h (horário de Brasília) em cerimônia privada no cemitério Forest Lawn, em Glendale, mesmo local onde o corpo de Michael Jackson, grande amigo da atriz, está enterrado.

Assim como o astro da música, Taylor passará a eternidade dentro de um grande mausoléu feito de mármore, onde também estão lendas de Hollywood como Clark Gable, Jean Harlow, W.C. Fields e Red Skelton. No local, há vitrais recriando "A Última Ceia", de Leonardo da Vinci, e "Moisés", uma reprodução da escultura de Michelangelo que adorna a tumba do Papa Julius 2º em Roma. No topo de um morro perto dali, estão as duas maiores pinturas do mundo, "A Crucificação" e "Ressurreição". Outras celebridades enterradas no local são Walt Disney, Nat King Cole, George Burns e Gracie Allen.

Ao longo dos anos, o parque Forest Lawn também se tornou uma lenda, assim como seus "inquilinos". Visitantes raramente são admitidos, fotos proibidas e a discrição impera. Fundado em 1906 por um grupo de executivos numa área de 55 acres de ladeiras na cidade de Tropico (depois Glendale), não havia floresta ou gramado no local, apenas um parco cemitério tradicional com lápides de granito e mensagens elaboradas. Até que Hubert Eaton chegou em 1912, aos 31 anos. Ele havia se formado na faculdade em Missouri, cuidado de gado em Montana e perdido uma pequena fortuna em uma mina de prata em Nevada. Então, assumiu o trabalho como gerente de vendas do cemitério para poder pagar os financiadores de sua mina.

Eaton convenceu as pessoas a comprarem terrenos antes de sua morte. Depois de apenas um ano, ele tinha aumentado as vendas em 250%. Depois de três anos, elas haviam multiplicado tanto que ele pôde comprar parte da companhia e foi nomeado seu gerente geral.

Apesar da resistência do conselho administrativo, de fabricantes de monumentos, da comunidade e de clientes, Eaton eliminou lápides para que grama pudesse ser plantada e gramados ceifados; ele renunciou ao nome "cemitério", mudando-o para "parque memorial"; começou a colecionar obras de arte de primeira classe ou reproduções detalhadas; e acrescentou mausoléus, acres, árvores, floristas, loja de presentes e capelas que são usadas para funerais e casamentos. Em 1933, Eaton foi o primeiro a combinar um necrotério com um cemitério, superando a oposição de agentes funerários, fabricantes de caixões e o Estado. Hoje, o parque Glendale cobre 300 acres e emprega 150 pessoas.

Reuters
A entrada do cemitério Forest Lawn, perto de Los Angeles, onde Elizabeth Taylor será enterrada
O parque foi dividido em seções como Slumberland (Terra do Repouso), Babyland (Terra dos Bebês), Graceland (Terra da Graça) e Inspiration Slope (Declive da Inspiração). Você pode achar lugares para imortalidade, afeto, tranquilidade, clemência, harmonia, fidelidade e devoção. Um tema patriótico foi incorporado nos anos 1950 com o Court of Freedom (Tribunal da Liberdade), o Freedom Mausoleum (Mausoléu da Liberdade) e seções com nomes como liberdade e vitória.

O número de localidades incluídas no Forest Lawn cresceu para dez – Hollywood Hills, Glendale e Covina Hills são as três maiores. A administração do empreendimento evita perguntas, inclusive sobre os nomes de seus habitantes famosos, quantas pessoas estão enterradas lá ou quanto espaço ainda existe no local. Isso não impediu, no entanto, que mapas informais sobre o cemitério tenham aparecido na internet.

Embora os visitantes possam ver uma parte do grande mausoléu de mármore quando fazem uma visita guiada ao vitral da "Última Ceia" (com uma apresentação de 10 minutos sobre a janela de vidro colorido, vista regularmente 365 dias por ano), a maioria do edifício de múltiplos andares é restringida. Ele é bem monitorado e algumas áreas só são acessíveis com chaves de passagem.

    Leia tudo sobre: elizabeth taylorforest lawn

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG