Elizabeth Taylor morre aos 79 anos

Atriz estava internada em hospital de Los Angeles por problemas cardíacos

iG São Paulo com agências |

A atriz britânica Elizabeth Taylor morreu nesta quarta-feira (23) aos 79 anos por problemas cardíacos. Internada no início do mês passado no hospital Cedars-Sinai, em Los Angeles, a estrela hollywoodiana se tratava há semanas. Michael Wilding, um dos filhos da atriz, divulgou um comunicado: "Sempre seremos inspirados por sua contribuição ao mundo".

Apesar da internação e de complicações recentes, a condição de Taylor era considerada estável e esperava-se que a atriz se recuperasse e pudesse voltar para casa. Em 2009, Taylor havia sido submetida a uma cirurgia para substituir uma válvula defeituosa no coração. Ela usava uma cadeira de rodas há mais de cinco anos para lidar com sua dor crônica.

Uma porta-voz confirmou que Taylor estava acompanhada por seus filhos – além de Michael, Christopher Wilding, Liza Todd e Maria Burton. Ela deixa 10 netos e quatro bisnetos.

Liz Taylor ficou conhecida em todo o mundo por sua beleza estonteante, seu talento e seus dramas na vida real. Simbolizou o glamour dos "anos dourados" do cinema norte-americano . Considerada uma das últimas divas da antiga Hollywood, a atriz começou a atuar ainda pequena, sendo reconhecida com Oscar ao longo de sua carreira, por "Disque Butterfield 8", em 1961, e "Quem Tem Medo de Virginia Woolf?", em 1967, além de ter obtido outras três indicações – em 1958, por "A Árvore da Vida"; em 1959, por "Gata em Teto de Zinco Quente"; e em 1960, por "De Repente, No Último Verão". A eterna Cleópatra teve sete maridos e se casou por oito vezes (duas com Richard Burton), além de posar ao lado de diversos namorados e amantes. Lutou por anos contra a dependência das drogas e do álcool e dos distúrbios alimentares.

AP
A atriz Elizabeth Taylor, em foto de arquivo
Elizabeth Rosemond Taylor nasceu em 27 de fevereiro de 1932, em Londres. Em 1939, sua família decidiu voltar para os Estados Unidos temendo o início da guerra na Europa. Pouco depois de se instalar em Los Angeles, Liz participou de seu primeiro filme, “A Força do Coração”, que foi lançado quando a atriz tinha apenas 10 anos de idade. Seu primeiro papel importante no cinema veio em 1944, no filme “A Mocidade É Assim Mesmo”. Com apenas 12 anos, Elizabeth Taylor tornou-se, então, a principal estrela infantil do estúdio MGM.

A atriz foi a rainha das bilheterias das décadas de 1950 e 1960. Seus olhos cor de violeta encantavam plateias e seu talento conquistava os críticos. Nesse período, ela atuou ao lado de pesos-pesados do cinema norte-americano, como James Dean (no clássico “Assim Caminha a Humanidade”), Roger Moore (em “A Última vez que Vi Paris”) e Paul Newman (“Gata em Teto de Zinco Quente”).

Apesar do trabalho elogiado e da fama estabelecida, levou algum tempo para que Taylor ganhasse um Oscar. Ela foi nomeada por quatro anos consecutivos ao prêmio da Academia, mas só levou a estatueta para casa em 1960, por “Disque Butterfield 8”. A segunda estatueta veio pouco depois, em 1966, interpretando a briguenta Martha, considerada uma das melhores atuações de sua carreira, em “Quem Tem Medo de Virginia Woolf?”.

Filhos e casamentos

A atriz, que por anos figurou nos sonhos de muitos homens, teve uma vida amorosa atribulada. Com oito casamentos no currículo, Elizabeth Taylor se relacionou com homens ricos e famosos de seu tempo. Ela teve seu primeiro marido com apenas 18 anos. O escolhido foi Conrad Nicholson Hilton Júnior, mais conhecido como Nick, herdeiro da rede de hotéis Hilton. A união durou pouco mais de sete meses. No ano seguinte, veio o ator Michael Wilding , com quem permaneceu por cinco anos. Com ele, teve dois filhos: Michael (1953) e Christopher Wilding (1955).

Após a separação, surgiu outro milionário em seu caminho, Mike Todd. Ele foi o primeiro grande amor da sua vida, mas morreu em um acidente aéreo, um ano depois do casamento. Juntos tiveram a terceira filha da atriz, Liza Todd. Superado o trauma, Elizabeth casou-se com o cantor Eddie Fischer. Sua união com o músico foi um dos maiores escândalos da sua carreira: ele era grande amigo do falecido Todd e marido da atriz Debbie Reynolds, amiga de Taylor.

Ainda casada com Fischer, Elizabeth conheceu o ator inglês Richard Burton no set de filmagens de “Cleópatra”. Os dois tiveram uma relação turbulenta, casaram-se e separaram-se duas vezes. Juntos, adotaram a quarta filha de Liz, Maria Burton. Após 11 anos, entre idas e vindas, a atriz se separou de Burton e, no mesmo ano, casou-se com o atual senador republicano pelo estado da Virginia John Warner.

AP
Elizabeth Taylor em "A Árvore da Vida" (1957)
Em 1981, aos 59 anos, a diva buscou novamente a felicidade, agora nos braços do caminhoneiro Larry Fortensky, um alcoólatra recuperado. A cerimônia foi realizada no rancho Neverland, de seu amigo Michael Jackson. Com o fim do oitavo casamento, a estrela jurou nunca mais se casar.

Problemas de saúde e drogas

Elizabeth Taylor teve uma longa história de de abuso de álcool e drogas. Além de ter sido internada diversas vezes em clínicas de desintoxicação, sofreu com distúrbios alimentares e por algumas vezes tentou suicídio. A atriz ainda tomava aspirinas e analgésicos para livrar-se das dores ocasionada por uma queda de cavalo aos 12 anos – ela fraturou três vértebras e passou a depender de remédios desde então.

Nos últimos anos de vida, Elizabeth Taylor foi internada diversas vezes por problemas de saúde – superou pneumonia, câncer de pele e operações no pulmão, quadris e coluna. Em 1997, foi submetida a uma cirurgia no cérebro para retirada de um tumor benigno. Sete anos depois, em 2004, foi diagnosticada com problemas no coração. No total, estima-se que tenha feito na vida entre 30 e 40 cirurgias.

Em suas últimas aparições em público, a atriz usava cadeira de rodas, alegando problemas de escoliose. Em 2009, surpreendeu ao usar sua conta no Twitter para anunciar que iria fazer uma operação cardíaca e pediu orações aos fãs. Em sua última internação, há seis semanas, além de falhas no coração, foram detectadas novamente fraturas na coluna, agravadas pela escoliose, e a atriz vivia com muita dor.

Uma entrevista à revista W, em 2004, reflete bem o espírito da atriz com relação à idade e seus inúmeros problemas de saúde. "Meu corpo está uma bagunça", disse ela. "As pessoas devem pensar, 'meu Deus, ela ainda está viva?' Mas há alguma teimosia em mim que me faz continuar lutando. É a coisa mais incrível – eu simplesmente continuo voltando."

Assista a trechos dos filmes de Elizabeth Taylor:

    Leia tudo sobre: elizabeth taylorhollywood

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG