Diretores exigem que Irã liberte cineasta

Spielberg, Scorsese, Coppola e Stone, entre outros, assinam carta pedindo que governo solte Jafar Pahani

EFE |

Um grupo de importantes diretores de Hollywood assinou nesta sexta-feira uma carta na qual exigem ao Governo do Irã que liberte o cineasta Jafar Panahi, detido por "crimes não-especificados" no início de março, informou o site "The Wrap".

Steven Spielberg, Martin Scorsese, Francis Ford Coppola e Oliver Stone, entre outros, publicaram a carta em "solidariedade a um companheiro cineasta", na qual condenam sua detenção. "Exigimos do Governo iraniano a libertação imediata do senhor Panahi", diz o documento, também apoiado por Robert Redford, os irmãos Coen, Robert De Niro, Steven Soderbergh, Michael Moore, Terrence Malick, Ang Lee e Jim Jarmusch.

No total, 20 produtores assinaram o pedido de ajuda a Panahi, diretor iraniano conhecido por filmes como O Balão Branco (1995), O Círculo (2000) e Fora do Jogo (2006), vencedor do Urso de prata do Festival de Cinema de Berlim e da Câmera de Ouro em Cannes. "As contribuições do Irã ao cinema internacional foram justamente reconhecidas, e encorajaram a pessoas de fora do país a respeitar e apreciar sua gente e suas histórias. Como os artistas em qualquer lugar, os cineastas iranianos deveriam ser celebrados, não censurados, reprimidos e presos", diz o texto.

Panahi foi detido no dia 1º de março, acusado de "crimes não-especificados", acusações que posteriormente foram revisadas. Atualmente, o diretor é acusado de estar realizando um filme contra o regime dos aiatolás. Os filmes de Panahi estão proibidos no Irã há uma década, e durante os últimos quatro anos o diretor foi impedido de exercer a profissão. Em outubro, seu passaporte foi confiscado. Em carta recente, sua mulher se mostrou preocupada pela saúde de Panahi, que tem problemas no coração e foi levado para uma cela menor na prisão de Evin, em Teerã.

    Leia tudo sobre: Irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG