"Deu a Louca na Chapeuzinho 2" perde a graça do original

Nova animação da série falha ao insistir em fórmulas esgotadas e humor datado

Reuters |

Quando estreou em 2005, "Deu a Louca na Chapeuzinho" trazia um número tão grande e complexo de referências a contos de fadas que, como um primo pobre de "Shrek" , não parecia ser voltado a crianças. O filme dependia exclusivamente da compreensão das piadas, algumas com duplo sentido, apoiado em uma estrutura narrativa mais sofisticada, inspirada em "Rashomon", de Akira Kurosawa.

Divulgação
"Deu a Louca na Chapeuzinho 2" decepciona com roteiro mais fraco do que a animação original
Embora sua nova sequência ainda se fie no mesmo tipo de humor, o roteiro de Cory e Todd Edwards perdeu muita de sua capacidade de fazer rir ou mesmo sofisticação. No primeiro, a história da Chapeuzinho Vermelho era recontada com diferentes pontos de vista ao detetive Nicky Flippers (voz de David Ogden Stiers), à la filme noir, relativizando a idoneidade da protagonista (Anne Hathaway ) e de sua vovozinha (Glenn Close).

Agora, a história tem uma nova abordagem. Chapeuzinho (dublada, desta vez, por Hayden Panettiere) trabalha para o sapo Nicky, tal como a vovozinha e o Lobo Mau (Patrick Warburton) - que foi inocentado no primeiro filme. Enquanto ela viaja para um treinamento com o grupo "Irmãs do Capuz", seus companheiros da Agência Felizes Para Sempre devem solucionar o desaparecimento dos irmãos João e Maria, aparentemente sequestrados pela bruxa do conto original.

No entanto, o resultado está muito aquém da produção anterior, insistindo em fórmulas esgotadas e humor datado. É ainda possível rir de piadas com base no filme "Kill Bill", de Quentin Tarantino? Os Edwards acreditam que sim, a despeito da quantidade de paródias realizadas anos atrás.

Como pouco se apoia na animação - feita, aliás, por computador e nunca muito competente -, há pouco a se salvar nesta produção. Se antes era pouco aconselhável para crianças pela necessidade de referências, agora esse público, habituado a ineditismo, poderá considerar o que se vê na tela tão velho quanto os contos da Carochinha. O filme estréia apenas em versões dubladas, tanto em 3D como 35mm.

null

    Leia tudo sobre: Deu a Louca na Chapeuzinho 2cinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG