Começa festival de cinema universitário em SP

Edição paulista do evento conta com curtas produzidos pelos alunos da USP

AE |

selo

O primeiro filme, seja curta ou longa-metragem, a gente nunca esquece. Ou quase. Muitas vezes, os filmes de conclusão de curso produzidos pelos alunos das mais importantes escolas de cinema do país não encontram seu público e acabam restritos ao acervo das universidades. É para que os novos talentos do cinema nacional possam mostrar na tela grande seus primeiros trabalhos que existe o Festival Brasileiro de Cinema Universitário. Em sua 15.ª edição, o Festival terminou ontem no Rio e começa hoje em São Paulo - estendendo-se até o próximo domingo.

Além de dezenas dos melhores filmes universitários do Brasil e do mundo, a edição paulista do evento conta com uma sessão especial de abertura, hoje, às 20 horas, no Cine Sabesp. A programação inclui os cinco os mais recentes curtas produzidos pelos alunos do Curso Superior do Audiovisual da Escola de Comunicações e Arte da USP, o lançamento de um DVD e a exibição de Projeto Sal Grosso 9 , curta produzido a partir de roteiro selecionado em um workshop realizado na edição 2009 do festival.

Em sua terceira edição, o DVD traz, além dos cinco que serão exibidos, outros três curtas. Entre eles, há vários já premiados em diversos festivais do mundo. Dos cinco filmes que serão exibidos hoje, destaque para Nuvens , de Daniel Grinspum. Retrato do dia a dia de uma menina que vende balas em um cruzamento de São Paulo, o filme já levou prêmios em festivais como o Beijing Film Academy, Tel-Aviv Student Film Festival e La Pantalla Latina, na Suíça. "É muito gratificante ver que, além de dirigir seus primeiros trabalhos, nossos alunos estão podendo mostrar e ser reconhecidos por eles. A escola possui a função de ajudar o aluno a se inserir no mercado e cada vez mais acho que a ECA tem de trabalhar para isso", comentou Esther Hamburger, chefe do departamento de Cinema, Rádio e TV da ECA-USP.

Para Esther, que está deixando o cargo esta semana com a sensação de dever cumprido, o diálogo entre a universidade e a população só tem a ganhar com ações como esta. "A formação do aluno passa também pelo reconhecimento de sua produção. Atualmente, além de incentivar e auxiliar os alunos a exibirem seus filmes, a ECA procura ajudar na viagem desses jovens diretores aos festivais internacionais. O intercâmbio de ideias in loco é muito importante."

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG