Cinema internacional aporta no Rio e faz da cidade uma Riollywood

Três filmes de grande apelo mundial estreiam em 2011 tendo a cidade carioca como cenário principal

Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro |

Entrecortado por montanhas, com grande extensão de praias, favelas com vista panorâmica para o mar, além de cartões-postais mundialmente famosos, como o Pão de Açúcar e o Corcovado. O Rio de Janeiro tem cenário para todo tipo de proposta cinematográfica. E agora a cidade foi redescoberta por produtores e diretores internacionais. Já tem quem comemore dizendo que Hollywood é aqui, ou melhor aqui é “Riollywood”. 

Divulgação
As belezas naturais da cidade estão na animação "Rio"
Dois grandes lançamentos, entre os filmes mais aguardados do ano, levam imagens do Rio para as telas de cinema do mundo todo neste primeiro semestre de 2011. Em “ Rio ”, animação de Carlos Saldanha, que estreou em 8 de abril, as belezas da cidade são exacerbadas tons coloridos, a partir das aventuras de uma ararinha-azul. Aguardado para estrear no dia 6 de maio, “ Velozes e Furiosos 5” também se passa no Rio. O colorido carioca dá lugar a tons amarelados de uma cidade que ainda convive, cotidianamente, com a corrupção policial e as mazelas sociais cravadas nas encostas dos morros, em vielas fétidas e casebres toscos .

Só no primeiro final de semana de exibição, “Rio” arrecadou nos Estados Unidos US$ 40 milhões , sendo exibido em 3.826 salas, enquanto que o blockbuster “ Pânico 4 ” ficou com US$ 19,2 milhões. No Brasil, o filme arrecadou R$ 13,7 milhões em seus três primeiros dias em cartaz, sendo esta a maior abertura nacional em renda de 2011 e a melhor estreia nacional de uma animação na história. Em duas semanas, já são mais de dois milhões de ingressos vendidos por aqui.

Leia também : Veja quais os mais recentes filmes rodados na cidade

As expectativas para “Velozes e Furiosos 5” também são as mais ambiciosas. Segundo Vin Diesel, protagonista e coprodutor da série que mistura corrida de carros e bandidagem, espera-se que esta penúltima continuação do filme bata as bilheterias anteriores. “Vamos vir com tudo para conquistar isso. Tendo o Rio como forte nesta campanha, não tem quem resista”, disse ele, durante a coletiva para divulgar o trabalho na cidade .

Para se ter uma ideia da divulgação que um filme promove, basta que se diga que a principal ação de marketing do desenho “Rio” foi durante o evento esportivo mais importante dos Estados Unidos, a final do campeonato de futebol americano, o Super Bowl. O jogo entre o Green Bay Packers e o Pittsburgh Steelers, realizado no dia 6 de fevereiro, foi visto pela televisão por 111 milhões de pessoas. Em meio a comerciais, a exibição do trailer feito pela 20th Century Fox para anunciar o filme “Rio”, com a chamada “Welcome to Rio”.

George Maragaia
Kristen Stewart e Robert Pattinson filmaram na Marina da Glória, zona sul do Rio
Vampiros em lua-de-mel

E vem mais Rio nas telonas no segundo semestre. O filme “Amanhecer”, da saga “Crepúsculo”, teve cenas rodadas no boêmio bairro da Lapa, centro do Rio, e na Marina da Glória (com a estonteante vista para a enseada de Botafogo) – além de locações em Angra dos Reis e Paraty, no sul-fluminense. Em novembro de 2010, os atores Kristen Stewart e Robert Pattinson, casal-sensação do mundo teen, causou alvoroço na cidade . Centenas de fãs se acotovelaram na porta do Copacabana Palace para tentar vê-los de perto. Os seguranças tiveram dificuldades para conter a histeria jovem. Ambos prometem voltar à cidade, em novembro, quando está marcado o lançamento mundial da produção.

Cidade sitiada

Nem sempre a imagem da cidade é a que os marqueteiros políticos gostariam. Em “Velozes e Furiosos 5”, a bandidagem está à solta – ainda que também estejam lá as cenas impactantes de praias e montanhas cariocas. “Quando exibimos o filme para um grupo de formadores de opinião, nos Estados Unidos, ficaram todos maravilhados, querendo conhecer melhor esta cidade”, conta o diretor Justin Lee.

Divulgação
Cidade estampada no cartaz do filme "Velozes e Furiosos 5"
Em 2008, “Hulk”, de Louis Leterrier, também usou o Rio de Janeiro como cenário. Para evidenciar que Bruce Banner (o personagem-título) mora em um país do terceiro mundo, escolheu-se a favela Tavares Bastos, na zona sul da cidade, como cenário. Há cenas também na Floresta da Tijuca, considerada a maior floresta urbana do mundo. A praia de Ipanema, além de algumas tomadas na Lapa e em um galpão abandonado de São Cristóvão, estavam entre as locações brasileiras.

Para o secretário municipal de Turismo e presidente da RioTur, Antonio Pedro Figueira de Melo, levar aos cinemas a corrupção policial ou ainda o abandono das favelas não mancha a imagem do Rio. “É uma peça de ficção, as pessoas sabem o que estão vendo. Se não fosse assim, ‘Cidade de Deus’, ‘ Tropa de Elite ’, entre outros títulos, deveriam ter sido proibidos de usar a imagem do Rio também”, afirma ao iG .

Geração de empregos

Rodar um filme longe dos estúdios de Hollywood significa cooptar mão de obra local para ajudar na realização das cenas. “Velozes e Furiosos 5” foi uma coprodução americana com a Conspiração Filmes (de ‘2 Filhos de Francisco’, ‘ A mulher invisível’, entre outros).

Segundo informações da assessoria da produtora brasileira, com sede no Rio, os chamados “produccion services” duraram 12 meses, incluindo as negociações, busca de locações, estudo comparativo de locações em Porto Rico (onde houve cenas filmadas no meio das ruas), visitas técnicas com a equipe dos Estados Unidos, pesquisa de objeto de arte e figurino, além de envio de objetos via contêiner. A equipe era composta por mais de 50 profissionais em quatro diárias de filmagens.

Números não oficiais contabilizam mais de cem pessoas envolvidas em seis dias de filmagens de “Amanhecer”, em novembro passado no estado. Só a cena de lua-de-mel dos protagonistas, filmada em um hotel em Paraty, envolveu mais de 70 pessoas – entre seguranças, contrarregras, assistentes e camareiros. Os salários eram pagos diariamente, com direito a lanche e hora de descanso.

“Faca na caveira”

Quando Sylvester Stallone veio ao Brasil filmar “Os mercenários ”, em 2009, se envolveu em uma polêmica digna de um acidente diplomático. Certeiro nos socos e pontapés que distribui em cena, o fortão só não soube lidar bem com as palavras. Em uma entrevista a uma TV americana, Stallone explicou assim por que resolveu filmar aqui: “Gravar no Brasil foi bom, pois pudemos matar pessoas, explodir tudo e eles (os brasileiros) dizem ‘obrigado, obrigado e leve um macaco’!”, disse, imitando a voz de uma pessoa simplória.

Stallone ainda relatou que foi necessário um grupo de 70 seguranças para garantir a integridade física de sua equipe. E comentou o símbolo do BOPE (Batalhão de Operações especiais), que é uma faca fincada na caveira. “Os policiais de lá usam camisetas com uma caveira, duas armas e uma adaga cravada no centro. Já imaginou se os policiais de Los Angeles usassem isso? Já mostra o quão problemático é aquele lugar”, afirmou.

Ag.News
Stallone filmou "Os Mercenários" no bairro da Lapa, centro do Rio

Após as declarações, o ator enviou um pedido de desculpas aos brasileiros, através de sua assessoria de imprensa. Depois veio a público pedir desculpas . Mas já não havia mais efeito especial que pudesse consertar a derrapada. O filme foi um fiasco de bilheteria aqui – e lá fora.

Para o presidente da Embratur, Mário Moysés, os efeitos positivos que estes filmes dão à cidade superam qualquer adversidade. “Vejo pelo caso do ‘Rio’, que é o mais recente. Teremos um resultado expressivo, muito maior do que qualquer outra campanha de marketing. Só poderemos medir este impacto mais para frente. Mas é para ser otimista, claro”, afirma.

O cinema como atrativo turístico já é usado por várias cidades. A prefeitura de Barcelona, na Espanha, por exemplo, deu incentivos fiscais generosos para que Woody Allen filmasse “Vicky Cristina Barcelona ” em 2008 na capital da Catalunha. A expectativa dos produtores de “Rio” é de que 160 milhões de pessoas vejam nos cinemas as aventuras da ararinha-azul. Muito mais do que os parcos 5,1 milhões de turistas estrangeiros que visitaram todo o Brasil no ano passado - e já sendo este o melhor resultado desde 2005, segundo dados da Embratur.

Trailer de "Rio":

Trailer de "Velozes e Furiosos 5":

Trailer de "Os Mercenários":

    Leia tudo sobre: cinemariollywoodrio de janeirovelozes e furiososrio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG