Cineasta opositor paga fiança e é libertado no Irã

Jafar Panahi deixou a prisão após pagar uma fiança de cerca de 160 mil euros

EFE |

O cineasta iraniano Jafar Panahi foi libertado hoje após pagar uma fiança de cerca de 160 mil euros, como informou a agência de notícias local "Ilna". A agência confirma a previsão da mulher do diretor, que pela manhã avisou que o marido deixaria a prisão até o fim da tarde de hoje. O diretor precisa ainda, no entanto, passar por um julgamento em um tribunal revolucionário de Teerã, por acusações ainda não divulgadas.

Panahi, um dos cineastas mais premiados fora de seu país, foi preso no final de fevereiro. Ele é um dos artistas e intelectuais iranianos que mostraram apoio ao movimento de oposição reformista que denunciou uma ampla fraude eleitoral na reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad. A oposição afirma que Panahi é acusado de estar preparando um filme sobre o movimento opositor.

O cineasta chegou a fazer greve de fome na prisão para ter acesso a advogados, à família e para passar por julgamento. O chanceler francês, Bernard Kouchner, e o ministro da Cultura, Frederic Mitterrand, aplaudiram a libertação de Panahi, mas lamentaram sua ausência forçada no Festival de Cannes, onde era convidado a fazer parte do júri.

"Estamos felizes que Jafar Panahi tenha recuperado hoje sua liberdade, da qual nunca devia ter sido privado", indicaram Kouchner e Mitterrand em comunicado conjunto.

    Leia tudo sobre: Jafar Panahi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG