Cineasta iraniano pede que colegas façam greve para apoiar Panahi

Fevereiro vai marcar protesto em prol do diretor, condenado à prisão no Irã

AFP |

O cineasta iraniano Rafi Pitts ("O Caçador", "A Quinta Estação") pediu à indústria cinematográfica que deixe de trabalhar durante duas horas em 11 de fevereiro em solidariedade com seus colegas e compatriotas Jafar Panahi e Mohammad Rasoulof, condenados a penas de prisão.

"Convidamos a todos os cineastas e membros da indústria cinematográfica – quaisquer sejam suas nacionalidades, fronteiras, religiões ou convicções políticas – a apoiar nossos compatriotas cineastas iranianos, deixando de trabalhar durante duas horas, entre 15h e 17h, em 11 de fevereiro de 2011, dia do 32º aniversário da revolução iraniana", assinalou Pitts em um comunicado.

Em carta aberta dirigida ao presidente iraniano Mahmud Ahmadinejad, anexada ao comunicado, o cineasta condenou as sentenças contra os dois colegas "castigados por se interessar por seus compatriotas e pelas vidas perdidas durante os conflitos depois das eleições" de junho de 2009.

Panahi, um dos cineastas iranianos mais conhecidos no exterior, foi condenado em 20 de dezembro a seis anos de prisão e não poderá sequer filmar ou deixar o Irã durante 20 anos, por "participação em reuniões propaganda contra o regime islamita".

Já Mohamed Rasulof, que trabalhava num filme com Panahi antes de sua prisão, também foi condenado por delitos similares a seis anos de prisão.

    Leia tudo sobre: jafar pahaniirãcinema iranianoprisãoprotestogreve

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG