Preso em Teerã, Jafar Panahi exige visita de parentes e acesso a advogado

O cineasta iraniano Jafar Panahi, preso desde 1º de março em Teerã, iniciou uma greve de fome na prisão de Evin, informou sua esposa, Tahereh Saeedi. Em declarações divulgadas hoje pelo site "Rahesabaz", favorável à oposição reformista, Saeedi explicou que o próprio cineasta comunicou sua decisão durante um breve telefonema.

"Não como nem bebo nada desde a manhã do domingo e continuarei assim até que aceitem minhas reivindicações", disse o próprio Panahi, segundo o site. Além disso, o diretor revelou a sua esposa que no mesmo dia tinha sido interrogado e acusado de filmar sem autorização. Suas exigências são finalmente ter acesso a um advogado, após quase 80 dias preso, regime aberto para que possa receber familiares e ser posto em liberdade depois do julgamento. Panahi, um dos cineastas iranianos mais premiados no exterior, foi detido em fevereiro em casa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.