Cartas para Julieta recicla clássico de Shakespeare

Apesar do roteiro previsível, humor e sensibilidade fazem do filme um romance envolvente

Reuters |

Divulgação
A atriz Amanda Seyfried interpreta uma jovem em busca de um amor perdido em Cartas para Julieta
Palco do romance impossível entre Romeu e Julieta, a bela cidade de Verona, na Itália, volta a ser cenário de novas e sensíveis histórias de amor em Cartas para Julieta .

Inspirada na famosa obra de William Shakespeare, esta produção é assinada por Jose Rivera, indicado ao Oscar pelo roteiro de Diários de Motocicleta e estrelado pela veterana e premiada atriz inglesa Vanessa Redgrave.

O ponto de partida do filme é a lua de mel do casal Sophia (Amanda Seyfried) e Victor (Gael García Bernal) para Verona. Apesar de romântica, a viagem começa a fazer água quando ele se mostra mais interessado nas atrações culinárias da região do que na companhia de sua esposa.

É nesse momento em que Sophia visita o balcão de Julieta, atração turística da cidade, onde mulheres de todas as nacionalidades deixam cartas sobre amores perdidos ou impossíveis para a amada de Romeu (daí o título). Quando começa a retirar as cartas a pedido de um grupo de senhoras que trabalham no local, ela descobre acidentalmente uma mensagem deixada ali há mais de 50 anos por Claire Smith (Vanessa Redgrave).

Divulgação
Veterana Vanessa Redgrave dá peso ao filme
Ao ler a carta, descobre que a jovem Claire, numa viagem de férias, apaixonou-se por um rapaz italiano, mas temendo a reação da família, decidiu voltar à Inglaterra. Penalizada, Sophia escreve uma resposta à agora senhora, que meio século depois decide reencontrar seu grande amor, com a ajuda da jovem americana.

Trata-se, enfim, de uma jornada em busca do que se perdeu. Enquanto o objetivo de Claire é mais palpável, encontrar Lorenzo (Franco Nero), Sophia deve resgatar o amor, que acredita ter se perdido em sua relação com Victor. Para isso, a jovem contará com a ajuda de Charlie (Christopher Egan), neto de Claire, que a contragosto passa a acompanhá-las.

Apesar do roteiro um tanto previsível, há humor e sensibilidade o bastante para tornar Cartas para Julieta um romance envolvente. Deve-se muito, claro, à presença da veterana Vanessa Redgrave, que . O carisma de Amanda Seyfried também é vital para superar os dramas que aparecem pelo caminho.

O resultado final do filme, dirigido por Gary Winick ( Noivas em Guerra ), é equilibrado, com sua acertada trilha sonora e fotografia. Claramente voltado mais ao público feminino, não deixa, no entanto, de ter atrativo para outras plateias.

    Leia tudo sobre: Cartas para Julieta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG